Primeiro dia do Curso "Avaliação de Sistemas de Irrigação"

Encerrou por agora, o primeiro dia do Curso "Avaliação de Sistemas de Irrigação" que é uma realização da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA) e com o Instituto de Pesquisa e Inovação na Agricultura Irrigada (Inovagri).

Hoje, o curso iniciou no período da manhã com a parte teórica. De início os participantes receberam as boas vindas do Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez, junto ao Professor Dr. Mauricio Augusto Leite, chefe do Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos (DEFERS). Em sequência, foi realizada a abertura do evento, cujo o Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez iniciou falando do programa de treinamentos da ANA / INOVAGRI, a agricultura irrigada no noroeste paulista, crise e segurança hídrica, atuação da UNESP Ilha Solteira e por que avaliar sistemas de irrigação.
Abertura do curso de avaliação de sistemas de irrigação
Em seguida, Vitor Trinca falou sobre a democratização do conhecimento, a informação e o apoio à agricultura irrigada realizado pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira. Logo após, o Professor Fernando Tangerino fez um panorama sobre a avaliação e sistemas de irrigação expondo os conceitos e aplicações.

Depois de um excelente almoço no restaurante Laranja Lima, partimos rumo ao Sítio Ideal, aonde fomos recebidos pelo proprietário Edson Namiki, que nos permitiu realizar a parte prática do Curso. Em um primeiro momento, o Profº Fernando Braz Tangerino Hernandez, explanou sobre como funciona, na prática, o método de avaliação do Coeficiente de Uniformidade de Christian Hansen. 

Professor Tangerino explica como avaliar a uniformidade de aplicação de água e calculo do CUC e da lâmina média 

Em seguida, foi a hora dos participantes colocarem a "mão na massa". Em conjunto com a equipe da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, foram distribuídos os coletores na área, e foram aferidos os volumes de água que chegariam ao solo, ou seja, a lâmina líquida.


Ao final da tarde, o Engenheiro Agrônomo Marcelo Akira Suzuki, Gerente da empresa Irrigaterra falou sobre inovações tecnológicas, abordando temas como as novidades de tecnologias de automação embarcadas no equipamento pivô central.

Pivô central operando e coletores registram a quantidade exata da água que cai sobre o solo ao longo da área irrigada.
Fernando Tangerino explica sobre automatização dos sistemas de irrigação

Aos participantes amanhã daremos continuidade ao curso a partir das 8 horas no DEFERS quando seguiremos para os trabalhos de avaliação de um sistema de irrigação localizada operando em mamão e citros na fazenda Recanto da Onça, em Rubinéia e outro sistema de irrigação por aspersão em bloco para pastagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário