Calor e longa estiagem preocupam

Certamente o que você mais escuta por ai é sobre o calor, redes sociais, emissoras de TV, radio e até aquele papo no ônibus e no táxi. O dia começa com temperaturas amenas, poderíamos dizer até um pouco frio, mas após as 10h da manha, já começamos a sentir os efeitos do calor, com uma “leve” impressão de que estamos a poucos metros do sol, situações corriqueiras como pegar um ônibus ou ir ao mercado se tornam verdadeiras lutas pela sobrevivência (claro com toque de exagero). Mas afinal o que esta acontecendo com o clima?

No final do ano passado uma grande massa de ar quente e seco chegou ao nosso continente, formando um sistema de alta pressão, muito semelhante a uma parede que bloqueia as frentes frias que vem do oceano pacífico. Como não ocorre a formação de chuvas o calor fica cada vez maior, como na capital paulista que bateu seu recorde de temperatura, alcançando 36,4° C. Achou quente? Essa é a temperatura marcada por termômetros que levam em consideração apenas medição feita no ar, já a sensação térmica que é a temperatura que realmente sentimos,  leva em consideração velocidade do vento, umidade e densidade do ar, o Rio de Janeiro bateu recorde com a sensação térmica chegando a 57° C.

Com todo esse calor falta de chuvas e aumento do consumo de água e energia os reservatórios que abastecem diversas regiões Brasileiras estão com níveis baixos, semelhantes a mesma época do ano de 2001, quando ocorreu o racionamento de energia decretado pelo governo federal nos quais são responsáveis por 70% da energia gerada no país. Já o sistema Cantareira que abastece a região metropolitana de São Paulo, ou seja, cerca de 8,8 milhões de pessoas chegou a 19,4% da sua capacidade, menor número desde sua criação. 

Essas informações são preocupantes já que o Instituto nacional de pesquisas espacias(INPE) prevê chuvas volumosas somente em março. Mas isso não significa que iremos ficar sem ver os pingos caírem do céu, pois chuvas estão ocorrendo no país, porem em áreas isoladas, por exemplo no dia 11/02/2014 a rede agrometeorologia registrou em uma de suas estações localizada em Pereira Barreto chuva de 19,3mm e ventos fortes, chegando a derrubar arvores de acordo com relatos. E ontem tivemos em Ilha Solteira 32,0 mm o que já representa uma pequena esperança para a agropecuária. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário