Temperaturas recordes no ano

A região Noroeste do Estado de São Paulo vem registrando altas temperaturas nos últimos dias no final da estação do inverno que termina de 21 de setembro. 
Desde o início do mês de setembro as temperaturas máximas registradas pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira só estão aumentando dia após dia, conforme ilustrado na imagem 1. No último dia 11 todas as estações alcançaram os maiores índices de temperatura do ano: Ilha Solteira com 38,4°C; Bonança 38°C; Itapura 37,9°C; Dracena 38,5°C; Paranapuã 38,5°C; Populina 37,8°C; Santa Adélia e Marinópolis 38,8°C e Santa Adélia Pioneiros 37,2°C.

Imagem 1: Temperatura máxima de 01/09 a 13/09
Com todas as Estações Agrometeorológicas em estado de alerta com umidade relativa abaixo de 20%, sabendo que o adequado ou ideal para a saúde e acima de 50%. Conforme na imagem 2. A Estação localizada no município de Sud Mennucci quase chegou em estado de emergia com 13,9% umidade relativa, sendo tal estado iniciado em 12%. Com a umidade do ar em baixa, os níveis de evapotranspiração e a temperatura de toda a Região Noroeste Paulista foram altos, com taxas a 6 mm/dia e 37°C, respectivamente. 
Para um irrigante, que deseja irrigar uma pastagem, isto significa que para suprir somente as taxas de evapotranspiração diárias em 1 hectare, o irrigante terá que aplicar 60 mil litros de água. Em outras culturas fora a quantidade de água a ser aplicada deve ser calculada com base evapotranspiração da cultura e o coeficiente de cultura determinado para cada fase fenológica em Allen et. al (1998).

Imagem 2: Umidade relativa, evapotranspiração e temperatura 11/09
Na primeira quinzena do mês de setembro os dados de evapotranspiração de referência e temperatura média ficaram acima dos comparados com o mesmo período do ano de 2016, e permaneceram também acima da média histórica, conforme a tabela 3. Porém as chuvas, tão esperadas por todos, ficaram abaixo do esperado, assim, fazendo os agricultores que possuem sistemas de irrigação a utilizarem com uma maior intensidade seus equipamentos.

Imagem 3: Comparação histórica de evapotranspiração e temperatura
Conheça mais sobre a AHI da UNESP Ilha Solteira e interaja conosco a partir de:
Acompanhe todo o trabalho da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP de Ilha solteira a partir de:
Skype: equipe-lhi
Email: irriga@agr.feis.unesp.br

Altas temperaturas e baixa umidade relativa atinge toda a região Noroeste Paulista

A temperatura vem subindo cada dia mais nesse mês de setembro. A segunda-feira (11), registrou a maior temperatura do ano na região e a terça-feira também foi quente em todo o Noroeste Paulista.



Conforme os dados da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira transmitidos pelo CANAL CLIMA, atualizados a cada cinco minutos, todos os municípios monitorados pela rede agrometeorológica do noroeste paulista registraram temperaturas máximas superior aos 37ºC.

O município de Sud Mennucci foi onde marcou a temperatura mais alta do dia com 38,4 ºC. A estação Bonança localizada em Pereira Barreto chegou aos 38,1 ºC, já e estação Santa Adélia também localizada em Pereira Barreto registrou 36,7 ºC. Ilha Solteira marcou 37,2 ºC exatos na sombra.

Os municípios que ficam a direita do Rio São José dos Dourados bateu recorde de Temperatura máxima chegando a registrar 37,3ºC em Marinópolis. As cidades de Paranapuã e Populina registraram respectivamente a temperatura de 36,9 e 36,7.

Umidade Relativa

A todos os municípios registrava uma umidade relativa inferior aos 30% entrando em estado de atenção (segundo a OMS).


E com a baixa umidade relativa do ar, alguns cuidados devem ser tomados como:

• Evite fazer exercícios físicos intensos principalmente em vias de elevado tráfego de veículos;

• Manter hidratação adequada, especialmente em crianças idosos ( cinco à seis copos de água por dia);

• Umidificar o ambiente domiciliar, principalmente o quaro de dormir com o uso de vaporizador, umidificador, recipientes com água, e toalhas úmidas;

• Utilizar colírios umidificantes;

• Pingar diariamente cerca de 3 à 4 gotas de soro fisiológico nas narinas;

• Usar cremes hidratantes.


Estas e outras informações podem ser conferidas no portal do CLIMA.

Conheça mais sobre a AHI da UNESP Ilha Solteira e interaja conosco a partir de:
Acompanhe todo o trabalho da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP de Ilha solteira a partir de:
Skype: equipe-lhi
Email: irriga@agr.feis.unesp.br

Oportunidades com agricultura irrigada


Pod Irrigar - Diretores da Lindsay América do Sul visitam a UNESP
Em 17 de agosto de 2017 recebemos aqui na UNESP Ilha Solteira o CEO da Lindsay América do Sul João Eder da Silva e também o Diretor Comercial Ivan Wegener que conheceram as atividades da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, conversou com nossos Orientados e até o tradicional cafezinho na Padaria Pão Gostoso eles puderam degustar.



Nossos visitantes começaram como trabalhamos para fomentar o desenvolvimento e modernização da agricultura irrigada aqui na UNESP, quando atuamos da divulgação e na pesquisa aplicada ao uso eficiente da água e associamos tudo ao ensino, criando sinergia entre as atividades e os recursos que recebemos para o desenvolvimento das atividades. E assim puderam conhecer como é feito o apoio aos irrigantes do Noroeste Paulista por meio dos sete diferentes Canais de Comunicação, onde é possível encontrar desde dados meteorológicos em tempo real de evapotranspiração de referência, temperatura, umidade relativa e chuva, obtidos pela da Rede Agrometeorologica do Noroeste Paulista e disponibilizados na Canal CLIMA da UNESP até os resultados das pesquisas que são disponibilizados no Canal da Irrigação da UNESP.









Da visita pudemos fazer duas edições do [Pod Irrigar], a tradicional, na quinta-feira, onde João Eder fala do seu otimismo com a agricultura irrigada e como Engenheiro de Produção, como atuar o setor e vê vantagens nesta condição e a edição extra, em que relata a sua percepção em relação ao trabalho da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira. Somos gratos pelas palavras e pela visita feita pelo João Eder e ao Ivan. Voltem sempre, vocês e todos os seus Colaboradores na Lindsay - fabricante de pivô central - serão sempre bem vindos! É extremamente saudável e estimulada esta interação! Escute as edições do [Pod Irrigar] de 24 e 25 de agosto de 2017.
 - [Pod Irrigar] Agricultura deve se manter como motor da economia no país, aposta diretor geral da Lindsay

Este foi o tema da última semana do [Pod Irrigar], mas o Internauta também pode ouvir as outras dicas que estão disponíveis semanalmente a partir de http://podcast.unesp.br/podirrigar.

Próximas palestras
6 de setembro de 2017 - “Decidindo racionalmente o quanto irrigar e produtividade da água", no IrrigaShow, às 16:00 horas. Campos de Holambra.
7 de setembro de 2017 - "Entrando na Agricultura Irrigada - Primeiros Passos", no IrrigaShow, às 13:30 horas. Campos de Holambra.
02 de outubro de 2017 - "Uso combinado de estações agrometeorológicas e sensoriamento remoto para determinação da evapotranspiração atual e produtividade da água" no IV INOVAGRI International Meeting, XXVI CONIRD e III Simpósio Brasileiro de Salinidade, de 2 a 6 de outubro de 2017 em Fortaleza.

Manejo da irrigação - Zonas homogêneas de evapotranspiração
Zonas zonas homogêneas de evapotranspiração de referência, sabe o que são? Quer conhecer como elas estão divididas no Noroeste Paulista? Quer saber como este mapa pode ser útil à você Irrigante? Confira o artigo publicado do SBSR 2017.



Custo da irrigação com Rodrigo Franco Vieira
O Engenheiro Agrônomo Rodrigo Franco Vieira tem feito um trabalho inovador ao mostrar que a eficiência do uso da água e a sustentabilidade da agricultura irrigada deve ser feita usando métodos e sistemas adequados de irrigação e análise de custos e alternativas energéticas. Um dos seus trabalhos disponível no Instituto Inovagri é o “Estudo para identificação da relação investimento x área irrigada tempo de operação x custos com energia para Lotes sujeitos à Tarifa “Grupo B” com consumo menor que 25 CV". E na Sala de Aula do Canal do Produtor com Rodrigo Vieira temos a Aula 1 de Irrigação. Vamos aprender um pouco mais?


Água para todos
O Rio São Francisco, outrora símbolo da riqueza e abundância e sempre lembrado como o rio da Integração Nacional agoniza. A Folha de São Paulo mostra em reportagem - ilustrada com fotos e números - que, "em estado crítico, rio São Francisco tem um cemitério de obras paradas".


Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em agosto de 2017, o submercado Nordeste teve o nível de reservatórios mais baixo desde 2000, ficando com apenas 13% de sua capacidade de armazenamento. No Norte, apesar do nível estar maior do que o mesmo mês do ano passado, o valor verificado é o 4º pior do histórico, ficando em 53%. No mesmo período, o submercado Sudeste/Centro-Oeste apresentou o 4º nível mais baixo dos últimos 18 anos. Já no Sul, o nível dos reservatórios teve queda de 60% em relação ao ano passado. Para fins de comparação e especialmente para os Internautas daqui Noroeste Paulista, ontem, a Usina de Ilha Solteira tem vazão defluente de 3.565 m3/s e a de Três Irmãos, turbina 948 m3/s e ainda manda para o rio Paraná através do Canal de Pereira Barreto 198 m3/s.


Com vazão reduzida - Sobradinho está turbinando hoje 617 m3/s, tem vazão afluente de apenas 360 m3/s e está com somente 7,9% da sua capacidade de armazenamento - e sem as medidas mitigadoras previstas no projeto da Transposição iniciadas ou efetivadas coloca toda a bacia hidrográfica em uma grande incerteza, especialmente para os que labutam na agricultura irrigada e assim, a sociedade civil e entidades se mobilizam para que autoridades efetivem ações que possam recompor a oferta de água, como a campanha ilustrada abaixo.


E vamos recordar os bons tempos com Sá, Rodrix e Guarabyra "Pindurados no Vapor" quando de Bom Jesus da Lapa a Pirapora, eram apenas cinco dias pendurados no vapor. Claro que dependia apenas da madeira e da ventania e assim, se saia da Bahia e se chegava à Minas Gerais.


Emprego - Economia

Seminários em Irrigação e Drenagem

Como divulgado em sala de aula - Irrigação e Drenagem -, teremos os temas e líderes para os Seminários do semestre. Os Grupos de trabalho para estes Seminários devem ser formados com até 4 elementos, tendo como Coordenadores os alunos identificados abaixo. Se eventualmente o Líder já estiver em algum grupo, a troca de liderança é permitida desde que comunicada ao Professor antecipadamente. Cabe ao Coordenador organizar e dar as diretrizes para que o grupo faça um excelente seminário. 

Todos os seminários devem ser acompanhados de monografias que devem ser entregues no momento da apresentação, não havendo limitação no número de páginas, ficando todos à vontade para aproveitar o trabalho para estudar o tema a fundo. Os quatro primeiros seminários acontecerão na manhã do dia 11 de setembro de 2017 e os demais no período da manhã das datas das 2a. e 3a. Provas. As apresentações devem sempre durar aproximadamente 15 minutos (10-20 minutos).

A nota da apresentação é feita em função da média de três critérios: APRESENTAÇÃO, MÍDIA e CONTEÚDO, já a Monografia tem como critérios a APRESENTAÇÃO (forma), o CONTEÚDO e os RECURSOS utilizados para preparar o documento.

TODOS os alunos até o final do curso deverão apresentar ao menos um seminário e a monografia irá compor outra Nota e as apresentações seguirão esta sequência:
1. SAI - Serviços Públicos de Assessoramento ao Irrigante: o que são, quem são e como atuam?*** Giovana Guerra Mariano
2. SAI - Serviço de Assessoramento ao Irrigante Privado: o que é, quem são e como atuam? Giuliano Diehl Brunelli
3. Outorga do direito do uso da água e as diferenças nas concessões no âmbito Federal e Estadual. Gustavo Ribeiro Camargo
4. Casos brasileiros de desenvolvimento com a agricultura irrigada. Henrique Ali Kitagawa
5. Perímetros ou Distritos de Irrigação: o que são, onde estão, o que produzem e qual a sua importância? Hugo Henrique Andrade Meneghette
6. Desenvolvimento com agricultura irrigada: Estados Unidos. Igor Juliani
7. Revendas de irrigação no Estado de São Paulo: quem são, onde e como atuam? Isabella Costa Carrijo
8. Aspersores, fabricantes e suas aplicações para sistemas convencionais e mecanizados. José Luís Arakaki Júnior 
9. Fabricantes de pivô central no Brasil: quem são e como atuam? Lorena Lourenção Perezi Marçal
10. Fabricantes de sistemas de irrigação localizada no Brasil: quem são e como atuam? Lucas Fenelon Parra
11. Irrigação na cultura do citros: sistemas e manejo. Mariana Oliveira Brassaloti

* Os Grupos devem estar preparados para a apresentação e também devem se encarregar de fazer os ajustes nos equipamentos multimídia e arquivos antes da chegada do Professor.
** As datas detalhadas e demais informações estão disponíveis no arquivo "Introdução à agricultura irrigada" que é a base das nossas aulas e pode ser acessado a partir da aba Atividades Acadêmicas no Canal da Irrigação da UNESP Ilha Solteira.
*** Exemplos do exterior são também bem vindos

Algumas dicas para uma apresentação em público...
- Apresentação ideal: 20% do tempo para a introdução, 70% para o desenvolvimento e 10% para a conclusão
- Powerpoint com efeitos MUITOS especiais? Melhor não, a não ser que seja absolutamente necessário
- Escreva frases-chave no Powerpoint. E por favor, ao falar, não repita o que está escrito. A platéia agradece!
- Para conter um ataque de riso (ou de choro) por causa do nervosismo, contraia os dedos dos pés como se estivesse agarrando o chão.
- Não comece a apresentação se desculpando ou dizendo que vai dar uma "pincelada" no assunto.
- Em geral, recuar um pouco acalma, pois faz você ver as coisas mais de longe.
- Quando parar alguns instantes de andar, evite ficar com os pés paralelos. É melhor manter um pé um pouquinho à frente do outro. Deixe sua postura mais descontraida e facilita quando você for andar novamente.
- Ande pelo palco/sala, pois a movimentação mostra segurança e disposição de comunicar. Só tome cuidado para não parecer um pêndulo e fazer todo mundo cair no sono.
- Divida a platéia mentalmente em quatro partes e passeie o olhar nelas à medida que for falando.
- Se der branco, pergunte o que o pessoal entendeu até o momento.
- Imagine as perguntas que podem ser feitas e estude além disso. Prepare também slides extras com as respostas para mostrar no final. Sua eficiência vai causar uma ótima impressão.

86 dias sem chuvas e sistemas de irrigação garantem a sustentabilidade do negócio de se produzir alimentos

86 dias em chuvas em média no Noroeste Paulista resulta nesta paisagem. Investimentos e, sistemas de irrigação é pura necessidade.

Chuva e temperatura amena no Noroeste Paulista novamente
Em média foram 86 dias sem chuvas no Noroeste Paulista este ano encerrando um ciclo ou a contagem iniciada em maio e finalizado com a volta das chuvas em 13 de agosto de 2017. As pastagens secas deverão dar lugar ao verde e os riscos de incêndios diminuir consideravelmente. O período se longos dias sem chuva é conhecido da região que apresenta ainda as maiores taxas de evapotranspiração do Estado de São Paulo, mas muitas vezes esquecemos que há déficit hídrico em todos os anos, mudando apenas a intensidade e os meses em que ele ocorre.
De acordo com os registros da Rede Agrometeorológica do Noroeste paulista operada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em 2016, em média foram 76 dias sem chuvas maiores que 10 milímetros e o ciclo de seca começou em junho, em 2015 com início em julho foram 54 dias, já em 2014 foram 60 dias iniciando em maio, em 2013 teve inicio em junho o ciclo de 78 dias sem chuvas, em 2012 também com início em junho registramos 90 dias sem chuvas e em 2011 foram 84 dias sem chuvas com início em agosto. Mas em 2010 foram 159 dias sem chuvas em média no Noroeste Paulista e em Marinópolis, o recorde de 177 sem chuvas, com o período de seca iniciando em abril.  

Uma consulta ao Canal CLIMA da UNESP onde são divulgados os registros feitos pelo monitoramento climático do Noroeste Paulista mostra que as chuvas voltaram de forma muito irregular, com um volume variando entre 10,9 mm em Populina e 64 mm em Itapura e ainda, na região na Nova Paulista, a Estação Dracena registrou 114 mm, com 59 mm somente ontem. Na média o Noroeste Paulista registra 40 mm de chuva em agosto, acima dos 18 milímetros esperado historicamente e menos que os 78 milímetros médios registrados em 2016, quando a região teve o seu agosto mais chuvoso da história, chegando a 140 mm em Ilha Solteira.


Com tanta chuva quem consulta o Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira observa que sobre Populina está a informação de 91 dias sem chuvas gerando dúvidas nos Internautas que muitas vezes entram em contato com a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira. Decorre que mesmo Populina registrando 10,9 mm, este volume não aconteceu em apenas um dia e assim a contagem não foi reiniciada e o próprio Canal explica que o "placar" disponibilizado tem como base a agricultura e neste caso, é considerado dia de chuva quando chove 10 mm ou mais em um mesmo dia e assim, todos os demais municípios no Noroeste Paulista zeraram a contagem, menos Populina, que sente a falta das chuvas. 


Sobre o armazenamento de água no solo, os Argisolos predominam na região Noroeste Paulista e conseguem armazenar em torno de 1,0 mm por centímetro do solo, e assim, de maneira geral, ajudado pelas chuvas de baixa intensidade e ao longo de vários dias, da queda da temperatura e das taxas de evapotranspiração, de maneira geral houve um excelente recomposição do armazenamento da água do solo e fará com que que os sistemas de irrigação permaneçam desligados por um bom número de dias, enquanto que as pastagens voltarão a brotar uma vez que a radiação global que incide sobre a região já passa dos 15 MJ/m.dia. 

A evapotranspiração é a perda ou a transferência de água para a atmosfera feita pela transpiração das folhas e evaporação do solo e que, para máxima produtividade, deve ser reposta pela chuva ou pelos sistemas de irrigação. Com déficit hídrico conhecido até o dia 12 agostos os sistemas de irrigação estavam trabalhando a plena carga e esta semana que passou ficaram parados e devem permanecerem desligados nesta semana que começa hoje. Usamos os pivôs centrais para a produção de grãos em geral, pastagem e também citros. Já as videiras e as plantações de banana, são irrigadas pela aspersão convencional, gotejamento e microaspersão e as pastagens em áreas menores contam com a aspersão convencional. 
A evapotranspiração de referência média no Noroeste Paulista até 12 de agosto de 2017 estava em 3,7 mm/dia e após o início das chuvas ficou em 2,5 mm/dia e em agosto, a média está em 3,3 mm/dia.


FIIB - Feira Internacional de Irrigação Brasil 2017
Ainda repercutindo sobre a FIIB 2017 trazemos aqui duas entrevistas que concedemos. No programa Agrofrutas e Cia na reportagem de Marcelo Espíndola falamos sobre o manejo da irrigação e quais as ferramentas para o controle da água para a máxima eficiência. Confira também as recomendações e expertise de Denizart Pirotello Vidigal e Suemi Koshiyama, sobre as tendências e produção de frutas. E ainda, Ivo Bonassi Júniort conta a sua experiência com a irrigação de mandioca. 






Produção de Alimentos para todos
Em 16 de outubro 2013 no município de Luiz Eduardo Magalhães no encerramento do XXIII CONIRD - Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem fomos encarregados de fazer o resumo dos seis dias de Congresso e durante toda a nossa explanação insistimos na importância da informação e da utilização de todas as formas possíveis de comunicação para o setor. Citamos a revista Irrigazine como iniciativa neste sentido e também utilizando o trabalho realizado pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira dissemos que “A comunicação com diferentes linguagens deve ser priorizada como forma de democratização do setor. O conhecimento e as informações são fundamentais para que se possa ter a exata compreensão por todos os seguimentos da sociedade da importância da agricultura irrigada, seus efeitos multiplicadores, ao mesmo tempo em que possibilita o uso de novas técnicas e tecnologias”. Mas a frase que mais impacto e repercussão teve foi quando dissemos que o "Irrigante não é bandido, mas mocinho" e que se tornou capa da edição 34 (dezembro, 2013) revista Irrigazine, principal revista do setor de irrigação.


Esta semana, fomos surpreendidos positivamente com o artigo de "Fazendeiro não é bandido!" assinado por Evandro Pelarin Juiz de Direito da Vara da Infância e Juventude de São José do Rio Preto e publicado no Diário da Região de São José do Rio Preto em 11 de agosto de 2017. Difícil destacar apenas um parágrafo, que começa assim "Setores da burocracia estatal e da grande imprensa, influenciados, em grande parte, por agências de governos e ONGs internacionais, tratam os produtores rurais brasileiros como criminosos. Para eles, fazendeiros, sitiantes e arrendatários usam as terras para praticar o mal, destruindo o meio ambiente ou usurpando florestas que seriam patrimônio do mundo, não do Brasil..." e continua assim "Nos últimos 25 anos, a produção agrícola e pecuária brasileira se multiplicou, utilizando, para isso, míseros dez por cento a mais de terra virgem. Ou seja, o setor agrícola foi o que mais avançou em produtividade e tecnologia, com pouco avanço sobre novas áreas rurais. Todavia, quanto mais o empresário rural investe em tecnologia e produtividade, mais põe a sua propriedade em risco, já que aumentam as exigências. Torna-se, assim, uma categoria vítima de sua própria eficiência..." Vale conferir o artigo inteiro! Ótima análise! Parabéns pela sensatez e objetividade!

Água para todos
O Rio São Francisco, outrora símbolo da riqueza e abundância e sempre lembrado como o rio da Integração Nacional agoniza. Com vazão reduzida e sem as medidas mitigadoras previstas no projeto da Transposição iniciadas ou efetivadas coloca toda a bacia hidrográfica em uma grande incerteza, especialmente para os que labutam na agricultura irrigada e assim, a sociedade civil e entidades se mobilizam para que autoridades efetivem ações que possam recompor a oferta de água, como a campanha ilustrada abaixo.


Comportamento - Você quem são as pessoas que formam a Geração "Z" e "Y"?

Apresentação da nova integrante da AHI - Regiane de Carvalho Bispo

Olá, meu nome é Regiane de Carvalho Bispo e sou natural de São Caetano do Sul - SP, porém fui criada em Juazeiro - BA, cidade que tenho imenso carinho. Sou formada em Engenharia Agronômica pela a Universidade do Estado da Bahia, onde fui Bolsista de Iniciação Científica por 3 anos, trabalhando com monitoramento de variáveis meteorológicas e manejo de irrigação via atmosfera. Na mesma universidade, no ano de 2012, ingressei no Mestrado em Horticultura Irrigada, onde continuei os trabalhos com manejo de irrigação via atmosfera e solo. 
Em 2015 fui pesquisadora trainee no Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife - CESAR, participando do desenvolvimento de soluções para agricultura irrigada, onde tive oportunidade de conhecer e conviver em um ambiente de inovação, negócios e empreendedorismo. 
Após um ano de experiências no CESAR, iniciei o Doutorado na Universidade Estadual Paulista - UNESP em Botucatu, no Programa de Pós-graduação em Irrigação e Drenagem sob orientação do Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez
Terminada a fase de créditos em disciplinas, chego à Ilha Solteira para desenvolver a parte experimental da minha Tese e Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP, com intuito de ampliar e compartilhar conhecimentos. Aqui realizarei o meu trabalho de tese, onde irei trabalhar com balanço de energia e técnicas de sensoriamento remoto aplicadas ao manejo de irrigação na cultura da cana-de-açúcar. 
Por fim, agradeço ao Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez pela confiança e oportunidade que tem me dado e aos demais Orientados da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira pela receptividade, apoio e ensinamentos.

Abraços a todos!

Visita do CEO Eder da Silva e do Diretor de Irrigação Ivan Wegener da LINDSAY America do Sul.




Ontem, 17 de agosto o CEO João Eder da Silva e o Diretor de irrigação Ivan Wegener  visitaram a UNESP - Ilha Solteira. A equipe que conforma a Área de Hidráulica e Irrigação recebeu os visitantes, e apresentou os trabalhos de pesquisa que vem desenvolvendo. 
Ainda,  foi mostrado como é feito o apoio aos irrigantes do Noroeste Paulista por meio dos nossos canais de comunicação, onde é possível encontrar dados meteorológicos em tempo real de Evapotranspiração de referência, temperatura, umidade relativa e chuva, informações que são obtidas através da Rede Agrometeorologica do Noroeste Paulista.





 SERVIÇO:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Informações também em (018) 3743-1959

Após 84 dias secos, volta a chover em Ilha Solteira e em parte da região Noroeste Paulista

No dia dos pais fomos todos presenteados com o fim de um período de estiagem que começou aproximadamente no final de maio e se estendeu até ontem (13/08)

A Estação Itapura foi a que registrou o maior volume de chuva, 22.9mm, seguida pelas Estações Santa Adélia e  Santa Adélia Pioneiros localizadas no Município Pereira Barreto e Sud Mennucci respetivamente com um volume de chuva de 4,8mm, a Estação de Ilha Solteira registrou 4.6mm enquanto a Estação Bonança localizada no mesmo Município de Pereira Barreto registrou  4.1mm. já o menor volume foi registrado pela Estação localizada no Município de Dracena com 1.5mm. 




A umidade relativa do ar média se manteve por volta de 50-60% no Noroeste Paulista.



O município de Dracena ficou em estado de alerta no sábado (12/08). A umidade relativa do ar chegou a um valor preocupante, alcançando 17,4%, a temperatura máxima chegou aos a 35,6°C e aprecentou um valor relativamente alto na Evapotranspiração de Referencia de 7,5 mm.

A chuva ainda não deu continuidade nessa segunda feira.


SERVIÇO:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira
- Informações também em (018) 3743-1959

Dia especial com chuva em Ilha Solteira

Ilha Solteira recebeu uma leve garoa, inferior a 1 mm até até o momento. Tal valor não é representativo nas lavouras da região, que já passam dos 80 dias sem chuvas maiores que 10 mm. Entretanto, neste segundo domingo de agosto, dia especial conhecido por "dia dos pais", a chuva veio nos agraciar elevando a Umidade Relativa do Ar na região, que ás 14:00 estava em 29,5%, significando estado de atenção em Ilha Solteira.

Toda a equipe da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira deseja aos pais, aqueles que educam, amam e protegem seus filhos um feliz dia!


Se a chuva não é maior que 10 mm há 80 dias na região Noroeste Paulista, em Dracena (60 dias sem chuva) a situação foi agravada pela alta temperatura e baixa umidade relativa do ar. O município chegou a ter 35,6°C marcando nos termômetros na sombra e a umidade relativa do ar atingiu 17,4%, indicando estado de alerta.

SERVIÇO:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Informações também em (018) 3743-1959

AGENDA DE EVENTOS


Próximas palestras
6 de setembro de 2017 - “Decidindo racionalmente o quanto irrigar e produtividade da água", no IrrigaShow, às 16:00 horas. Campos de Holambra.
7 de setembro de 2017 - "Entrando na Agricultura Irrigada - Primeiros Passos", no IrrigaShow, às 13:30 horas. Campos de Holambra.

Outros eventos


- SEMINÁRIOS SEMANAIS DA ÁREA DE HIDRÁULICA E IRRIGAÇÃO
Foram realizados seminários pelos integrantes da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, das 18 às 19 horas na Sala de Reuniões do LHI e aberto aos interessados em geral. Conheça a programação!

OUTROS EVENTOS
O sítio do The Consortium of Universities for the Advancement of Hydrologic Science, Incorporated (CUAHSI) apresenta uma agenda de eventos. Confira: http://www.cuahsi.org

E mais um semestre se inicia e nova oportunidade para fazer parte do mundo da agricultura irrigada - Sejam bem vindos

Alguns dos stakeholders da agricultura irrigada participantes da FIIB - Feira Internacional de Irrigação 2017 em Campinas, de 1 a 3 de agosto de 2017.

Início das aulas 
Mais um semestre se incia e sempre é o momento de reflexão e decisão. Vivemos numa época de constante mudança, em uma sociedade espantosamente dinâmica, instável e evolutiva e certamente correrá sérios riscos quem não perceber isso e ficar esperando para ver o que acontece. Portanto, a adaptação a essa realidade será, cada vez mais, uma questão de sobrevivência.

Uma sociedade em desenvolvimento exige rompimento, mudança e novidade em linguagem, conceitos e modos. A cada dia que passa os produtos concorrentes ficam mais similares em termos de tecnologia e preços e estejam certos, o diferencial está e estará, portanto, na capacidade da empresa ou pessoas em se diferenciarem no mercado e este diferencial estará a cada dia mais na prestação de serviços. É preciso inovar, não dá para apenas copiar e é preciso criar uma nova postura e reinventar o setor nosso setor. Mas como fazer isso? Com certeza com a capacitação, com estudos, dedicação e foco!



De acordo com a Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação - CSEI - ABIMAQ em 2012 o Brasil incorporou mais 212 mil hectares irrigados, em uma taxa 21% maior que em 2011. Já em 2013 incorporamos 284 mil novos hectares, 34% mais do que em 2012 e em 2014, novos 221 mil hectares produziram sob sistemas de irrigação. Nestes últimos anos se consolidou a presença dos sistemas de irrigação tipo pivô central. Já os anos de 2014, 2015 e 2016, a crise hídrica pegou o setor em cheio o crescimento da área irrigada anualmente experimentou um declínio se considerado o desempenho dos anos anteriores e em 2015 recuamos para uma expansão de 187 mil novos hectares irrigados e retomamos o crescimento em 2016 com 218.500 novos hectares irrigados, mas incorporamos na última década anualmente mais de 180 mil hectares de área irrigada. Com todo este potencial de terras aptas à irrigação e mantido este ritmo de crescimento, levaríamos séculos anos para esgotar nossas potencialidades.


Aos estudantes e stakeholders da agricultura irrigada, pensem no fato de que com irrigação garantimos produtividades elevadas, a irrigação é ainda considerada uma das ações mitigadoras ao aquecimento global, tem ação agregadora da economia, temos agora o marco regulatório definido na Política Nacional de Irrigação, entre outros benefícios, então, BEM VINDOS à um mundo de oportunidades representada pela agricultura irrigada! Assim, fica a dica: vamos aproveitar a oportunidade e nos dedicar aos estudos, à capacitação técnica e vamos nos diferenciar, em cada área em que escolhemos atuar! Fé, obra e sucesso!

Em relação à disciplina de Irrigação e Drenagem, é recomendável um acompanhamento sistemático das aulas, não deixando para estudar somente na véspera da prova, pois operar a agricultura irrigada exige um conhecimento multidisciplinar. Na nossa primeira aula amanhã abordaremos as regras da disciplina, a bibliografia, as datas das provas, as atividades gerais e a introdução à agricultura irrigada e a irrigação. Também nas primeiras aulas faremos uma abordagem sobre o mundo dos negócios e as exigências do mercado de trabalho e a relação com o trabalho, liderança e empreendedorismo. Já estão disponíveis as ilustrações que usaremos em aulas ao longo do semestre. O roteiro de aula para o semestre e outras informações estão disponíveis na aba "Atividades Acadêmicas" do Canal da Irrigação.

Temos, além das aulas e da bibliografia da disciplina - nada deve substituir os livros textos recomendados - várias mídias de apoio que complementam os livros e são baseadas na Internet: este Blog (marcador "aula" principalmente) onde o estudante encontrará não somente informações sobre a agricultura irrigada e irrigação, mas também desde dicas de leitura/livros, de música (entretenimento) à como crescer na carreira. O Canal de Conteúdo da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira - ou simplesmente, Canal da Irrigação - traz os artigos publicados pela nossa equipe, fotos, ilustrações e acesso a todos os demais canais de mídia. As ilustrações utilizadas nas nossas aulas estão disponíveis também na aba Atividades Acadêmicas.


Principais produtos produzidos no campo brasileiro.



Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira oferece produtos que são gráficos e mapas de acompanhamento em tempo real de todas as estações e as principais variáveis climáticas, tais como temperatura, umidade do ar, velocidade e direção do vento, chuva, evapotranspiração, pressão atmosférica e radiação global e líquida, além da base histórica, tudo gratuito e com atualização a cada cinco minutos e é a parte visível da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista foi implantada como parte do projeto “MODELAGEM DA PRODUTIVIDADE DA ÁGUA EM BACIAS HIDROGRÁFICAS COM MUDANÇAS DE USO DA TERRA”, financiado pela FAPESP. Por este canal facilmente se confere os números que mostram a mudança no tempo, de muito frio para a umidade relativa baixa, já crítica, que enfrentamos esta semana e sentida na garganta, nas narinas e nos olhos. Vários artigos técnicos já foram publicados a partir da execução deste projeto e estão disponíveis no canal TEXTOS TÉCNICOS do canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e a TV Tem mostrou um dos nossos trabalhos que visa apoiar o uso eficiente da água. Confira!


No Canal YouTube da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira são ofertados videos que complementam as informações divulgadas de maneira escrita. Por fim, temos também a Fan Page da UNESP Ilha Solteira, onde divulgamos as últimas notícias produzidas pela nossa Equipe e as condições do tempo, quando se tornam adversas. Que tal CURTIR à na Fan Fage e ficar "antenado"? O nosso perfil no Facebook traz diariamente dicas de leitura, agricultura irrigada, negócios, música, cultura, entretenimento, carreiras, entre outros e ainda montamos Álbuns onde compartilhamos fotos sobre sistemas de irrigação, recursos hídricos, e muito mais. Fiquem a vontade para acompanhar-nos (Perfil Profissional e Institucional)! E apreciem sem moderação!

Datas das provas
1a. Prova (Peso 2) será em 18 de setembro de 2017, a 2a. Prova (Peso 3) em 30 de outubro de 2017 e a 3a. Prova (Peso 3) em  11 de dezembro de 2017 e o Exame Final será em 18 de dezembro de 2017 às 10 horas. As P2 e P3 serão com matéria acumulativa e pode-se fazer consulta à material auxiliar. Todas as provas serão às 16:00 horas. Os seminários acontecerão nas manhãs dos dias das Provas.
MF = (2P1 + 3P2 + 3P3 + 2MR) / 10
MR = Seminários* e monografias** (* Notas diferentes para cada atividade, mas baseadas na média entre CONTEÚDO, MÍDIA e APRESENTAÇÃO; ** Pesos diferentes em função da dificuldade e a nota é a média entre CONTEÚDO, RECURSOS UTILIZADOS e APRESENTAÇÃO).


A probabilidade do teste T na correlação entre média das listas de exercícios e a média final do Primeiro Semestre de 2017 foi de 0,2%, comprovando mais uma vez as vantagens de investirem parte do tempo de estudos ao longo do semestre fazendo as listas propostas.

Como textos base para a nossas primeiras semanas de aula sugerimos os seguintes textos:


Como leitura adicional recomendamos a revista VOCÊ S/A como forma de acompanhar o que acontece no mercado de trabalho. Lembre-se também que desempenho e aprendizado depende da dedicação de cada um e estamos aqui para orientá-los para que tenham um ótimo futuro profissional. Aproveitem!

Comunicação e transparência de ações e do conhecimento
Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira para democratizar o conhecimento e a informação, utiliza diferentes linguagens na Internet para cumprir este propósito através do: Canal de ConteúdoCanal CLIMABLOGCanal YouTubeFan Page no Facebook, [Pod Irrigar] e IRRIGA-L Grupo de Discussão em Agricultura Irrigada.  Acreditamos que "que é preciso inovar, não dá só para copiar e é preciso criar uma nova empresa e reinventar o nosso setor, para tanto é fundamental a democratização e a transparência da informação, do conhecimento e de ações",  Também usamos de forma complementar nosso perfil do Facebook para divulgar nossos trabalhos de ensino, pesquisa e extensão e interagir com sociedade como um todo. Existem outros canais mantidos por outras Instituições como o Forum da Agricultura Irrigada. Também confira o vídeo sobre como aprimorar seu networking.


FIIB - Feira Internacional de Irrigação 2017
A FIIB 2017 foi um sucesso total, desde a abertura com personalidades importantes como o Secretário de Estado de Agricultura e Abastecimento Arnaldo Jardim, o Ministro da Agricultura Alysson Paolinelli, criador da EMBRAPA, o Presidente da ABID, Helvécio Mattana Saturnino e tantos outros. Mas é certo que os principais stakeholders da agricultura irrigada ali se fizeram presentes.






A UNESP se fez presente na FIIB 2017 com a nossa palestra intitulada "Redes agrometrorológicas: Para que e para quem? O caso do Noroeste Paulista", no primeiro dia do evento e também atuamos como Instrutor do Tour da Irrigação, na parte ligada à estimativa das necessidades de água pelas plantas, que aconteceu no dia 2 de agosto de 2017, com mais três profissionais de diferentes regiões brasileiras. "Manejando a irrigação com o solo e a atmosfera" foi o tema da nossa participação.



De Ilha Solteira, os alunos integrantes da Empresa Júnior de Agronomia Ramo da Terra Soluções Agrícolas e Ambientais também estiveram presentes e tiveram uma ótima oportunidade para adquirir novos conhecimentos, realizar integração e troca de experiências entre os alunos, principalmente os da Terra Júnior, da UFLA. Vitor Trinca - Presidente da Ramo da Terra - assim resumiu a participação da Empresa Júnior da UNESP Ilha Solteira: "Fizemos bastante contato a fim de fixar parceria, alguns contatos de potenciais clientes e sem falar no conhecimento que agregou aos nossos membros em relação ao mercado da irrigação. Outro fator bem importante foi as felicitações que recebemos de vários profissionais. Destacamos o Professor Everardo Mantovani que ficou um tempão conversando e nos incentivando e isso é muito bom, porque motiva nossos membros ainda mais. E pra finalizar, o contato com o pessoal da Terra jr. foi excelente, o benchmark foi pesado e nos aproximamos demais deles que estão a 17 anos no mercado e puderam nos acrescentar muitas dicas e conselhos.".
Da UNESP Botucatu, o Professor Dr. João Carlos Cury Saad apresentou o "Software para avaliação de desempenho hidráulico de pivô central" no dia 3 de agosto de 2017. 

 Alguns dos Orientados da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira presentes ladeados por Silvio Carlos Ribeiro Vieira Lima, Diretor da ADECE.

Resumimos alguns depoimentos colhidos nos grupos de agricultura irrigada sobre a FIIB 2017: "Gostaria de parabenizar Denizart Pirotello Vidigal e equipe pelo grande evento, sucesso total! E também de agradecer a oportunidade de representamos uma importante fatia do agronegócio brasileiro, o VSF! Obrigado pela gentileza, presteza e recepção calorosa! Opinião de todos os agentes da irrigação que ouvimos, foi apenas uma: SUCESSO TOTAL!", "Parabéns pela iniciativa de organizar um evento de irrigação e de alto nível e a todos que puderam prestigiar o evento", "Parabéns belo excelente evento. Infraestrutura de qualidade, palestras de alto nível, a indústria totalmente presente e participando e uma organização impecável, fizeram da FIIB um grande sucesso. Mais uma vez parabéns. Espero ver todos em Fortaleza em outubro no XXVI Conird, IV Inovagri e III Simpósio Brasileiro de Salinidade. Sejam bem-vindos", Este evento foi muito bem organizado e de alto nível técnico! Já espero a organização do próximo! Obrigado pelo convite e parabéns!", "Foram três dias de muita empolgação, competência e otimismo. Houve momentos que me pareceu que eu estava fora do Brasil. Me surpreendeu a postura e atitudes das pessoas, com maturidade e firmeza, em nenhum momento se abordou a lamentável e vergonhosa situação política do país. Parabéns a todos! Estarei presente no próximo, se Deus quiser", "Parabéns pelo excelente trabalho, foi impecável", "Você achou a palavra que faltava: IMPECÁVEL!⁠⁠"... 
Pois é, resta-nos apenas agradecer Denizart e Débora Pirotello Vidigal pelo convite, pela oportunidade de mostrar parte do trabalho executado aqui na UNESP Ilha Solteira e parabenizá-los pelo sucesso da FIIB 2017.⁠⁠

Pod Irrigar - IOT, sabe o que é isso? 
Nosso convidado desta semana no [Pod Irrigar] - o podcast da Agricultura Irrigada é o Engenheiro Mecânico Christian Bernert, que explica que a conexão de equipamentos de irrigação com Internet propicia manejo mais efetivo e consciente da água e ainda saiba as vantagens da evolução da Internet Das Coisas - IOT para o setor da agricultura irrigada.

Manequim Challenge


Uso da água - capacitação
A Monsanto vem buscando desenvolver cada vez mais soluções para tornar a agricultura mais sustentável, conservando os recursos naturais do planeta e promovendo seu uso eficiente entre os agricultores. Seguindo esse intuito, a empresa construiu em 2009 o Centro de Aprendizagem do Uso da Água, em Gothenburg, EUA, que tem como objetivo buscar formas de ajudar os produtores rurais a gerenciar melhor o uso da água no campo, assim como fornecer respostas à perguntas e problemas relacionados à agricultura.
A Monsanto possui três centros de aprendizagem nos Estados Unidos, porém apenas o de Gothenburg foi desenvolvido especialmente para entender como devemos usar a água de modo mais eficiente nas lavouras. O investimento foi de US$ 6 milhões, e lá são pesquisados sistemas de plantio e estudos de traços genéticos, incluindo tecnologia de eficiência de uso da água, como sistemas resistentes à seca.

Recomposição florestal

Dicas - Planilhas

Entretenimento - Luiz Melodia se foi...
Triste notícia. Gostava muito das musicas do cantor Luiz Melodia, que morre aos 66 anos no Rio de Janeiro na última sexta-feira, dia 6 de agosto. Um dos grandes compositores do Brasil, autor de sucessos como "Pérola Negra", "Estácio, Holly Estácio", "Magrelinha", "Negro gato" e "Juventude Transviada". Conhecido por mesclar o samba ao suingue do soul em um modo original de compor e interpretar, ele era dono de um estilo único e uma das vozes mais marcantes da MPBLuiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951 - Rio de Janeiro, 4 de agosto de 2017), mais conhecido como Luiz Melodia, foi um ator, cantor e compositor brasileiro de MPB, rock, blues, soul e samba. Filho do sambista e compositor Oswaldo Melodia, de quem herdou o nome artístico, cresceu no morro de São Carlos no bairro do Estácio. Assista também a apresentação de Luiz Melodia no Sr. Brasil com Rolando Boldrin.