Recordes de temperatura máxima, de falta de chuva, seca e suas consequências para a população e economia

O início de 2014 está sendo marcado pela falta de chuva, temperaturas máximas recordes, baixo nível dos reservatórios de água, seca, queda de produtividade, falta de água nas cidades para abastecimento humano, industrial e dos sistemas de irrigação e consumo recorde de energia.
Planejar a microbacia é fundamental para que tenhamos mais escoamento de base do que superficial, ou seja, mais infiltração da água da chuva. Com um planejamento adequado, que inclui conservação do solo e manejo da irrigação poderíamos ter mitigado os problemas atuais causados pela falta da chuva este ano. Diminuir a diferença entre a máxima e a mínima é o grande desafios de administradores/gestores sejam públicos ou privados.
Abaixo, a cronologia da falta de água e as suas consequência através da compilação do que a imprensa destacou.
- 18/12/2013: "Gestão da água é uma prioridade na produção agrícola" de Afonso Peche Filho traz o alerta de que devemos cuidar da conservação do solo e da água nas áreas rurais e assim valorizar ainda mais a importância sócio-econômica dos agropecuaristas.
- 03/01/2014: Reservatórios das usinas hidrelétricas do Nordeste estão com nível abaixo de 35%. Um atraso no início do período de chuvas tem deixado os reservatórios das usinas hidrelétricas do país em nível baixo, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Na Região Nordeste, o nível está em 34,88%. Já no Sudeste/Centro-Oeste, os reservatórios estão com 43,34% de sua capacidade.De acordo com a assessoria de imprensa do ONS, normalmente o chamado “período molhado” começa em outubro, mas, em 2013, começou apenas em dezembro. A falta de chuvas provoca a redução do nível dos rios e, consequentemente, dos reservatórios das hidrelétricas.
- 08/01/2014: Nível de água dos reservatórios da região sobe, mas segue baixo, segundo ONS.
- 14/01/2014: Reservatório da Usina de Ilha Solteira com 53,7% da capacidade (nível de montante m 325,76 m  - Máximo de 328 m) e Furnas com 47% (cota 760 metros). Fonte: CESP;
- 3/02/2014: Clima prejudica lavouras de cana e café e preços disparam. O forte calor e a escassez de chuvas têm aumentado as preocupações dos agricultores nas mais importantes regiões produtoras do Brasil. A tensão climática cresceu em janeiro - o mês foi o mais quente da história e um dos mais secos -, e colocou em alerta o Sul, o Nordeste, parte do Centro-Oeste e principalmente o Sudeste do país, onde as lavouras de cana-de-açúcar e café estão entre as principais vítimas.
- 05/02/2014: Seca no centro-sul pode afetar produção de cana do 2º semestre, diz Somar. As usinas de açúcar e etanol do Brasil deverão sentir os efeitos de clima seco e quente na região centro-sul do país no segundo semestre de 2014, disse a Somar Meteorologia. O agrometerologista Marco Antônio dos Santos, da Somar, disse em um relatório semanal que ainda é cedo para quantificar as perdas e que os níveis de umidade do solo estavam relativamente favoráveis aos canaviais até o momento. A Somar projeta que apenas chuvas isolas devem cair sobre o cinturão de cana brasileiro nas próximas três semanas, com um sistema de alta pressão mantendo as frentes frias fora do Sudeste brasileiro.
- 06/02/2014: Opinião do Estadão - Risco de racionamento de água.
- 07/02/2014: Dados do ONS indicam que Sudeste e Sul deveriam racionar 5% da energia. Pelo modelo estabelecido pela Aneel, Custo Marginal da Operação do sistema elétrico superou esta semana o limite a partir do qual se recomenda o racionamento; governo diz, porém, que essa é uma indicação meramente econômica e que o sistema está equilibrado.
- 07/02/2014: Reservatório da usina de Marimbondo é o mais seco. Fotos da situação! / Estiagem faz reservatório da Usina de Marimbondo chegar a 23% Hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste somam 70% da energia do país. Governo Federal diz que situação não ameaça fornecimento.
- 08/02/2014: Estudo associa seca ao uso maior da Cantareira. Especialista da Unicamp alerta para a possibilidade de se entrar em período histórico de pouca chuva. O aumento do volume máximo de água produzido pelo Sistema Cantareira – que abastece 47% da Grande São Paulo -, a partir de 2004, agravou a situação de esvaziamento de represas, até chegar a um atípico verão sem chuva. Criados em 1974, os reservatórios do Cantareira chegaram ao pior nível (20,3% da capacidade) neste mês.
- 09/02/2014: Cantareira corre risco de secar, mostra estudo. O aumento do volume máximo de água produzido pelo Sistema Cantareira - que abastece 47% da Grande São Paulo -, a partir de 2004, agravou a situação de esvaziamento de represas, até chegar a um atípico verão sem chuva. Criados em 1974, os reservatórios do Cantareira chegaram ao pior nível (20,3% da capacidade) neste mês. Um estudo feito pelo especialista em hidrologia Antônio Carlos Zuffo, professor da indica que o aumento de produção do sistema desconsiderou períodos históricos de pouca chuva. O Cantareira começou a ser construído com base em um período de poucas precipitações - que durou de 1935 a 1969. Nas duas décadas seguintes, no entanto, o volume de precipitações aumentou e a vazão subiu até 30%. "Com base nesse período de mais chuva, quando foi renovada a outorga, em 2004, elevou-se a capacidade de produção do Cantareira, porque viram que ele chegou a fornecer até 7 mil litros de água por segundo a mais."
- 10/02/2014: Decisivo, fevereiro deve ter chuva insuficiente. Fevereiro será decisivo para a agricultura. A estiagem de dezembro e janeiro aumentou a preocupação sobre o clima em um mês muito relevante para o desenvolvimento das lavouras. E as notícias não são animadoras. Celso Oliveira, meteorologista da Somar, diz que o clima não mudará nas três primeiras semanas deste mês. As temperaturas vão continuar muito elevadas, e as chuvas, abaixo da média. “Há expectativa de chuva entre os dias 20 e 28, mas não será suficiente para reverter o cenário de semanas e meses anteriores”, afirma. A previsão vale para quase todo o país, do Rio Grande do Sul à Bahia. As exceções são Mato Grosso, líder na produção de soja, que tem até chuva forte em algumas áreas, a região amazônica e o Nordeste (acima da Bahia). No resto do país, a produção de diversas culturas corre o risco de sofrer perdas relevantes por causa do clima. A tensão também atinge o mercado de açúcar. Segundo Julio Maria Borges, da Job Economia, em janeiro choveu cerca de 50% do volume normal na região centro-sul. “A cana que será colhida em abril recebeu 15% menos água do que o normal durante o seu desenvolvimento até aqui. É muito relevante.” No caso da soja, o clima não ameaça a produção recorde porque as condições climáticas em Mato Grosso foram muito boas. A preocupação recai sobre o Rio Grande do Sul e a Bahia, onde o desenvolvimento das lavouras está em um estágio decisivo.
- 10/02/2014: "É visível a quebra na produção de milho e soja por causa do calor e falta de água", diz à CBN Brasil Roberto Rodrigues.
- 10/02/2014: Usina de Marimbondo, na região noroeste paulista, é a mais seca do Brasil. Reservatório atingiu menos de 20% da capacidade, entre os 22 reservatórios monitorados pelo ONS.
- 10/02/2014: Manancial seca e racionamento de água é ampliado em Itu. Bairros mais populosos da cidade só vão receber água a cada dois dias.
- 12/02/2014: Ilha Solteira lidera ranking de incidência de raios na região, de acordo com dados do Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação que a classifica como de alta incidência para descargas atmosféricas, com média de 9,6 raios caindo por quilômetro quadrado anualmente.A incidência de raios registrada em Ilha Solteira está acima da média registrada no Estado de São Paulo, que é de 9,29. Em Araçatuba, a maior cidade da região, a incidência de raios é 6,9 raios caindo por quilômetro quadrado anualmente. Apesar da alta incidência, em Ilha Solteira nunca foi registrada uma morte provocada por raio.
- 13/02/2014: Com quebra de safra, cidade paulista decreta emergência. Sem chuvas há mais de 40 dias, safra de grãos em Itaberá teve quebra de até 80% na produção. Outras cidades agrícolas da região, como Itaporanga, Riversul e Itararé, já anunciaram que irão tomar medida semelhante. A safra da soja é a mais atingida. Dos 29,9 milhões de sacas de 60 quilos que seriam colhidas, a produção não deve chegar a 10 milhões. De acordo com o engenheiro agrônomo e produtor Ricardo Cunha, as melhores áreas estão produzindo um terço do esperado. "Onde tínhamos previsão de colher 60 sacas por hectare, estamos colhendo em torno de 20 sacas", disse. Além da falta de chuvas, o calor dizimou as lavouras, segundo ele. "Tivemos mínima de 24 graus e máxima de 40, o mesmo clima da Bahia", comparou. Os agricultores querem prorrogar o prazo do financiamento das lavouras e adiar para a próxima safra a entrega das vendas antecipadas do grão.
- 13/02/2014: Perdas na produção rural por calor e da seca afetam preços e alguns produtos começam a chegar mais caros à mesa das famílias paulistanas. A estiagem fora de época e o calor excessivo, com recordes diários de temperatura máxima, em São Paulo, já provocaram danos à atividade agrícola, e alguns produtos começam a chegar mais caros à mesa das famílias paulistanas.
- 13/02/2014: Rio Preto e Mirassol podem sofrer racionamento de água nas próximas semanas (video)
- 14/02/2014: Seca derruba safra de café em Minas. A seca que atinge áreas de café de Minas Gerais, Estado que lidera a produção do grão no país, deverá causar grandes prejuízos aos cafeicultores. Em lavouras mais novas, as perdas poderão chegar a 50%, segundo relatos de produtores e informações da Cooxupé, maior cooperativa de cafeicultores do mundo.
- 16/02/2014: Nível do reservatório da usina de Ilha Solteira cai e chega a 28% da capacidade. O nível dos reservatórios de hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que são responsáveis por cerca de 70% de toda a energia produzida no país. Em final de janeiro estava com média de 40,57% de armazenamento de água.
- 16/02/2014: Chuva alivia nível de reservatórios no interior de SP (região de Sorocaba).
- 17/02/2014: Alta Mogiana poderá ter quebra de 40% na safra de café, diz cooperativa. A Alta Mogiana Paulista, tradicional região produtora de café do Estado, poderá ter uma quebra de 40% na colheita deste ano, segundo Daniel Alves Carrijo, coordenador de Implementos e Máquinas da Cocapec. A região produz normalmente 1,5 milhão de sacas do grão. Citando técnicos da cooperativa, Carrijo diz que mesmo que chova ainda assim as perdas não serão recuperadas. Os grãos de café apresentam menos massa, menor densidade. Como os grãos caem dos pés e secam mais rápido, Carrijo afirma que a colheita na região , normalmente iniciada no fim de maio, deverá ser antecipada em um mês.
- 17/02/2014: Cafezais enfrentam estresse hídrico; produtores estão preocupados com a relação entre clima, preço e perdas de produção. Em Minas Gerais, os cafezais, principalmente de sequeiro, estão enfrentando estresse hídrico devido à seca. Os prejuízos podem ser observados no desenvolvimento dos grãos.  Os produtores estão preocupados com a relação entre clima, preço e perdas de produção.
- 17/02/2014: Nível do sistema Cantareira se estabiliza após 30 dias de queda, mas está em 18,5%.
- 17/02/2014: Após chuvas, racionamento é suspenso em Salto.
- 17/02/2014: ONS reduz novamente previsão para nível dos reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste, o principal do país, no fim de fevereiro. De acordo com o último relatório semanal do operador, a expectativa é de que os lagos das usinas das duas regiões alcancem a marca de 34,2% em 28 de fevereiro.
- 17/02/2014: Nível dos reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste tem nova queda. Água ocupa apenas 35,54% da capacidade de armazenagem em usinas, segundo o ONS, o mais baixo desde novembro de 2012. Especialistas dizem que cenário é semelhante ao de 2001, quando houve racionamento.
- 18/02/2014: Reservatório da Usina de Ilha Solteira com 29,0% da capacidade e Furnas com 38% (cota 759 metros). Fonte: CESP;
- 19/02/2014: Volume de chuva em fevereiro não chega nem a metade do esperado em Ilha Solteira;
- 19/02/2014: Falta de chuvas reduz capacidade de transporte na hidrovia Tietê-Paraná;
- 19/02/2014: Em cenário crítico traçado por comitê anticrise, água do volume útil do Cantareira acabaria em agosto. Grupo recomenda à Sabesp que defina um plano emergencial para eventual uso do "volume morto" (fundo dos reservatórios) no período de estiagem, no meio do ano. Veja o infográfico com os volumes disponíveis.
- 20/02/2014: ONS - Tabela com a situação dos Principais Reservatórios do Brasil. Ilha Solteira/Três Irmãos tem 33,11% de volume útil.
- 21/02/2014: Nova queda do volume do Cantareira faz crescer risco de falta de água na Copa. Faltando dez dias para terminar o mês, choveu apenas 24% do que é esperado como média para fevereiro - época considerada de chuva.

Um comentário:

  1. Dear Sir / Madam

    EMPRÉSTIMO o mais rápido possível dentro de 2 dias. Micro financeira Fundo Plc
    Comerciais e pessoais, X-mas Empréstimo, Empréstimo Casa a 2% de juros
    Pessoas rate.Interested devem entrar em contato Loan Officer via E-mail com o
    informações abaixo:
    Primeiro nome: ..... SOBRENOME: ...... PAÍS: ....... TELEFONE
    NÚMERO: ..... PROFISSÃO: ...... AGE: ............. Sexo: ...... CIVIL
    STATUS: ...... montante do empréstimo NECESSÁRIA: ...... RENDA MENSAL ...... EMPRÉSTIMO
    DURAÇÃO: ......
    Diretor Nome: Empréstimo oferta de Investimento Email: frankwoodloan@gmail.com
    Obrigado e Deus abençoe
    Atenciosamente,

    Sr. Frank

    ResponderExcluir