Alunos da Engenharia Civil visitam o LHI - NACI

Recebemos no LHI - NACI neste 27 de março de 2014 a visita dos alunos das disciplinas de Saneamento e Hidrologia do curso de Engenharia Civil da UNESP ILHA SOLTEIRA. 

Coordenados pela Professora Dra. Liliane Lazzari Albertin conheceram nossas instalações - incluindo campo, no caso a Estação Agrometeorológica Automática de Ilha Solteira - também parte das atividades desenvolvidas pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, com ênfase no monitoramento climático feito pela Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista, que tem a sua parte visível o Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira.


Foram apresentados alguns dos nossos equipamentos e instrumentos de trabalho, bem como como a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira trabalha a comunicação das suas atividades, inseridas no âmbito do projeto de Extensão "Planejamento e Gerenciamento Hidroagrícola e Ambiental" que está no seu 10o. ano de execução e conta com Bolsistas de Extensão.


O objetivo deste projeto é disponibilizar informações agrometeorológicas que permitam ao interessado planejar e gerenciar o meio ambiente e os recursos hídricos (manejo da irrigação, ou seja, o quando e o quanto irrigar). Em um objetivo mais amplo, transformar todos os DADOS obtidos pela Área de Hidráulica e Irrigação em INFORMAÇÃO, disponibilizando-as e divulgando-as. 


Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira para democratizar o conhecimento e a informação, utiliza diferentes linguagens na Internet para cumprir este propósito através do: canal de Conteúdocanal CLIMABLOGCanal YouTubeFan Page no Facebook, [Pod Irrigar] e IRRIGA-L Grupo de Discussão em Agricultura Irrigada. Também usamos de forma complementar nosso perfil do Facebook para divulgar nossos trabalhos de ensino, pesquisa e extensão e interagir com sociedade como um todo. Existem outros canais mantidos por outras Instituições como o Forum da Agricultura Irrigada


A Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira disponibiliza informações agroclimatológicas completas da região oeste do Estado de São Paulo provenientes de estações agrometeorológicas automáticas instaladas nos municípios de Ilha Solteira, Marinópolis, Populina, Paranapuã, Itapura, Pereira Barreto e Sud Mennucci, que permitem planejar e gerenciar o meio ambiente e também os recursos hídricos. Uma forma de fazer isso é através da estimativa da evapotranspiração, que permite determinar o quanto e o quando irrigar, permitindo assim o uso racional da água. Atualmente, mais de "3.000 hectares" são irrigados racionalmente e dependem diariamente das informações provenientes da AHI da UNESP Ilha Solteira, resultando num melhor aproveitamento de energia e água.


Com o projeto atendemos vários seguimentos da comunidade permitindo a todos os interessados o acesso das informações agroclimatológicas, como por exemplo temperatura, umidade relativa, chuva, etc. Aos irrigantes, através do conhecimento da evapotranspiração, que é a perda de água pelo processo de evaporação do solo e transpiração das folhas e que deve ser reposto ao solo pela chuva ou irrigação, é possível realizar o manejo da irrigação. Já aos pesquisadores, os registros dos clima nas estações fornecem uma base completa de dados agroclimatológicos, como radiação líquida, global e fotossintéticamente ativa, velocidade e direção do vento, pressão atmosférica, evaporação da água em superfícies livres e evapotranspiração por dois métodos, etc. Em relação às Seguradoras e Agências Ambientais, a chuva e a velocidade e direção do vento, por exemplo , podem servir de suporte para a comprovação dos efeitos de uma chuva ou ventania intensa ou até prover dados para estudos de dispersão de poluentes. 


Os alunos conheceram também os trabalhos e instrumentos para a medição de vazão, ou, hidrometria e ressaltamos a diferença entre trabalhar em grandes corpos d´água - uma atividade mais próxima ou mais comum ao Engenheiros Civis - e a nossa preocupação - Engenheiros Agrônomos - com os mananciais de pequeno porte onde serão inseridos sistemas de irrigação. Souberam também que na qualidade da água, o que mais nos preocupa é a presença de ferro em elevadas concentrações e a presença de coliformes fecais, especialmente quando produzimos para consumo "in natura".


No campo os alunos tiveram a companhia do Engenheiro Agrônomo Ronaldo Cintra Lima que explicou em detalhes os equipamentos e sensores utilizados para o monitoramento climático e ainda conheceram a rotina de manutenção das estações agrometeorológicas, tanto no campo, como no NACI - Núcleo de Apoio Computacional à Irrigação.


As oito estações são padronizadas na área onde estão instaladas e nos equipamentos, de modos a formar a Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista e permitir a comparação entre os registros que são feitos a cada segundos, chamado de tempo de varredura e atualizados no Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira a cada cinco minutos.



É sempre uma satisfação receber pessoas interessadas no nosso trabalho!


Nenhum comentário:

Postar um comentário