Aula CATORZE: projetos de irrigação não devem ser confundidos com canos ligados

"Eis o resultado da "nova matriz econômica", anunciada com fanfarra há alguns anos, e hoje pouco defendida, seja pelo governo, seja pelos nossos "keynesianos de quermesse": crescimento medíocre, inflação em alta, desequilíbrio externo, queda do investimento e desarrumação geral da economia. Pensando bem, meu encantamento pelo "pibículo" vai além do diminutivo pouco usual, ainda que preciso; rima com "ridículo", esta sim uma expressão que define bem o desempenho do país nos últimos anos, assim como o modelo de política econômica adotada no período, além, é claro, de descrever exatamente o que penso dos formuladores e defensores dessa política." (Alexandre Schwartsman, na FSP, 4 de junho de 2014)

Nas aulas passadas desenvolvemos o tema manejo da irrigação via atmosfera, onde conceitos como evapotranspiração de referência e da cultura, coeficiente de cultura, CAD, água disponível, reserva de água no solo, umidade crítica,velocidade de deslocamento, lâmina aplicada, entre outros, foram ensinados. Todas estas informações podem ser aprofundadas através da centena de exercícios disponibilizados em nosso canal "Atividades Acadêmicas" e também no Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira onde além de dados climáticos e a evapotranspiração de referência, é possível fazer download do software SMAI, que possibilita ao usuário que disponha de apenas os variáveis climáticas, calcular a evapotranspiração de referência.


Todo programa de manejo da irrigação começa com a avaliação da uniformidade da irrigação em campo e discutimos em sala de aula as diferenças na avaliação em campo entre a irrigação por aspersão e a localizada e ainda sobre a maior dificuldade e custos de avaliação e readequação de um campo de golf, que exigiria investimentos altos. Após a avaliação e melhorando o desempenho dos sistemas de irrigação temos os seguintes benefícios tais como: Melhoria da eficiência da aplicação da água, Aumento da produtividade, Aumento do lucro, Melhoria da qualidade da água, Diminuição do total da água aplicada, Diminuição da energia utilizada, Diminuição dos nutrientes e defensivos lixiviados, Diminuição do escorrimento da água e da erosão e Redução das doenças nas plantas. O artigo "Caracterização hidráulica de gotejadores em condição superficial e subsuperficial" é um ótimo exemplo de avaliação de sistemas de irrigação, com uma metodologia bem descrita.


Fizemos também a coleta dos volumes de água nos pluviômetros como aula prática e um trabalho sobre a avaliação da irrigação foi passado aos alunos! Esperamos dedicação e responsabilidade para que se colha um ótimo desempenho no aprendizado. Nossa expectativa é que com os trabalhos nossos alunos tenham a oportunidade de adquirirem mais um pouco do que chamamos de conhecimento tácitoAssista um ensinamento bem humorado sobre o tema! Há também o conhecimento explícito!


Sobreposição é o princípio do método de aspersão.

Todas estas informações podem ser aprofundadas através da centena de exercícios disponibilizados em nosso canal "Atividades Acadêmicas". No canal do Youtube, há ótimos videos produzidos pela nossa equipe de Extensão. Confira o "Cuidados para se ter projetos adequados de irrigação", "Escolha da tarifa de energia elétrica para irrigação: estudos de caso" e "Pivô central irrigando soja". Estamos convictos que com tanto material de referência, aulas bem ilustradas em sala e em campo, somente não aprende, quem não desejar, porque são inúmeras as oportunidades adicionais além das aulas semanais.


Vários órgãos e Instituições utilizam os Laboratórios Móveis para avaliação dos sistemas de irrigação na propriedade. Por exemplo, na Florida, Estados Unidos, o Laboratório Móvil de Irrigação (Mobile Irrigation Lab - MIL) foi implantado em janeiro de 1999 com o objetivo de promover a conservação da água e energia através da melhoria da eficiência dos sistemas de irrigação, para promover a melhoria da qualidade da água minimizando a lixiviação dos nutrientes além da zona radicular mantendo-os entre as raizes para a melhor absorção, para promover a sustentabilidade da agricultura através da redução dos custos de produção, através da redução dos gastos com energia e fertilizantes e o aumento da produtividade das culturas. Veja quantos são e onde estão baseados. Sugerimos a leitura dos artigos que avaliaram o desempenho dos sistemas de irrigação na MBH do Córrego do Coqueiro e do Três Barras e entendam a importância de se conhecer a capacidade e qualidade da aplicação de água dos sistemas de irrigação.

Pod Irrigar - A oferta e nível de água dos mananciais e dos reservatórios traz apreensão ao campo
E os reflexos das chuvas em volumes menores que o esperado na base histórica traz muita apreensão ao campo. Destaca-se também a irregularidade das chuvas e a sua variabilidade mesmo em regiões próximas.
Mas o fato concreto é que no noroeste paulista o que se constata é que muitos do córregos tiveram a sua vazão reduzida e em alguns casos a quase zero durante o dia, e nos últimos dias se acentuou o rebaixamento dos níveis de água dos principais reservatórios da região.
O de Ilha Solteira mesmo com 42 mm de chuva na bacia perdeu em média 4,7 centímetros nos últimos 30 dias e 4 cm nos últimos três dias e no lado paulista é o no rio São José dos Dourados que se verifica a extensão do problema, com áreas antes cobertas de água, agora totalmente expostas.


Rio São José dos Dourados em foto cedida por Tatiane Ganassim e Reginaldo Pipi.

No Lago de Três Irmãos foram perdidos nos últimos 30 dias em média 3,6 cm por dia, mesmo tendo recebido 22 mm de chuva e nos últimos três dias, foram 4,6 centímetros diariamente. A imprensa tem destacado que a capacidade de geração de energia no Centro-Oeste e Sudeste é da ordem dos 35%, mas no campo verificamos que irrigantes começam a atingir o volume morto das captações e isso preocupa muito. A busca por água a locais mais distantes sem comprometimento do sistema de irrigação depende de uma análise técnica e exige novos investimentos e o risco de ficar sem água para a irrigação dos cultivos é real.
Esta situação de dependência das chuvas exige discussões e ações mais profundas e objetivas sobre a capacidade de retenção de água na bacia hidrográfica. Devemos envidar esforços para segurar a água na bacia, promover a infiltração de água no solo e aumentar o escoamento de base ao invés do superficial. Devemos nos preocupar em combater de forma objetiva e urgente as erosões, o assoreamento e promover a recuperação das nossas nascentes e córregos, com conservação do solo através de terraceamento, recomposição das matas ciliares, desassoreamento e a construção de barramentos.
Não se enganem, devemos começar a produzir água na bacia hidrográfica e são os nossos córregos que dão origem aos nossos rios e por eles devemos começar o nosso trabalho!
De imediato devemos ter fé e rezar para que São Pedro seja também brasileiro e mande muita água para nós, mas devemos aprender a lição que ele nos está ensinando para que tenhamos energia e a produção agrícola. Esse foi o tema que desenvolvemos esta semana no Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura Irrigada desta semana. Ouça também os anteriores.
No Facebook criamos o álbum "Escassez de água" onde a situação retratada pode ser visualizada.

Encontrando Orientados e amigos
Estivemos em Uberlândia e o nosso Orientado de Graduação e de Mestrado Cláudio Ricardo Silva, hoje Professor da UFU nos recebeu para um churrasco em sua casa. Mas, ser recebido por um palmeirense fanático com uma sacola do Poderoso Timão na mão, não tem preço! Somente agradecer esta amizade é pouco! Fora o churrasco e a cerveja gelada e o bolo de chocolate! E teve também algumas dicas de novos livros de climatologia e seu site de videos didáticos. Também esteve conosco Roberto Atarassi, que teve uma participação importante junto à AHI na medida de que foi ele quem uniformizou os programas das estações agrometeorológicas de Ilha Solteira e Marinópolis e criou através de seu relatório para que tivéssemos hoje a Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista.




Também presente na tarde de domingo, Reno, Diretor do Instituto de Ciências Agrárias da UFU. Muito bom! Enfim, foi uma ótima tarde em Uberlândia em 8 de junho de 2014.

Agricultura irrigada

Cana - soja - agricultura
"Economia que resulta em ganho de produção" é o artigo de Fernando Dantas em que afirma que tecnologias têm sido utilizadas nas indústrias e empresas do setor sucroenergético para produzir etanol, açúcar e biodiesel, utilizando de forma consciente os recursos naturais. E três novos estudos, elaborados por renomados pesquisadores em suas áreas de especialização, confirmam de forma detalhada os inúmeros impactos positivos para a saúde da população e a economia do País produzidos pelo uso em larga escala do etanol de cana-de-açúcar. Os trabalhos foram apresentados por seus autores em Audiência Pública solicitada pela Frente Parlamentar pela Valorização do Setor Sucroenergético realizada em 28/05/2014 na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).

"Na Copa da soja seremos vice novamente", veja as razões por Glauber Silveira que diz que o mundo produziu 283,8 milhões de toneladas (segundo o USDA). Na safra 12/13 os EUA produziram 82,1 milhões de toneladas, enquanto o Brasil produziu 82,0 milhões de toneladas. Na safra 13/14 os EUA produziram 89,5 milhões de toneladas e o Brasil 87,5, quando tínhamos uma previsão de produzir mais que 90 milhões. A produtividade da soja brasileira parou nos 3.000 quilos por hectare há alguns anos, e o setor não vê grandes avanços. Isso não é exclusividade do Brasil, mas ocorre também nos outros países produtores da oleaginosa. Para mudar esse cenário, o Cesb (Comitê Estratégico Soja Brasil) vem promovendo anualmente um desafio entre os produtores para elevar esse volume médio. Nesta safra, o produtor campeão obteve 117 sacas por hectare, um volume um pouco acima de 7.000 quilos por hectare. Ao atingir esse patamar, esse produtor, que é da região Sul do país, superou em 134% a média nacional.


Mauro Zafalon mostra que são os produtos básicos que sustentam balança comercial, mas importações agrícolas sobem também. Com evolução positiva nas exportações de janeiro a maio (3%), continuam sendo sustentados pela soja e pelo minério de ferro, líderes em receitas. E a oleaginosa em grãos ultrapassou a commodity mineral. Em um período de quedas de alguns itens importantes, como o açúcar, outros passaram a sustentar as exportações. Entre eles, celulose, madeira serrada e bois vivos.Entre as carnes, o destaque é a bovina, já que a de frango teve recuo nas receitas. Mas, enquanto o Brasil ganha novos mercados para exportar, eleva também as compras de produtos relacionados à agricultura.Em maio, as compras externas de alimentos, produtos agropecuários não alimentícios e matérias-primas para a agricultura somaram US$ 2,1 bilhões, 18% mais do que em igual mês de 2013.


Universidade pública em discussão
Estão transformando a crise financeira das universidades públicas paulistas em uma crise que terá grandes reflexos. No limite, estamos dando "um tiro no pé" e acredito que a discussão deveria ser sobre gestão administrativa, adoção de critérios meritocráticos e seriedade de propósitos para escolher nossos dirigentes segundo vocações naturais ou desenvolvidas para administrar o ensino, a pesquisa e a extensão em sintonia com as demandas na nossa sociedade atual, moderna, dinâmica, instável e evolutiva. E o que "rolou" na semana que possa fomentar a reflexão? "Da Berkeley a USP - Nos EUA, universidades públicas são pagas; no Brasil, gratuitas. Por que?" é o título do artigo de Gustavo Chacra. Hélio Schwartman diz que "Não há almoço grátis" e explica: "A questão, no fundo, é simples. A menos que incorrêssemos em alíquotas de imposto significativamente maiores que as atuais, o Estado não consegue oferecer "gratuitamente" tudo o que dele se exige. Precisamos fazer escolhas. E aí o caso da universidade é um dos mais difíceis de defender. A educação básica e a saúde, para citar apenas dois itens, me parecem prioridades bem mais claras." Segundo a FSP, a mensalidade na USP poderia ser paga por 60% dos alunos, mas o fim da gratuidade nas universidades públicas divide opinião de acadêmicos. Enquanto isso, a "USP abre sindicância para investigar aumento nos gastos com salários". Acredito ser adequado dar transparência nas contas das Universidades Públicas, por que não? O que temos a esconder?

Economia

Negócios - Carreira
Na Exame catorze 14 sinais de que você tem inteligência emocional. "A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional. Quem tem inteligência emocional geralmente é confiante, sabe trabalhar na direção de suas metas, é adaptável e flexível. Você se recupera rapidamente do estresse e é resistente", disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman. Nossa inteligência emocional - o modo como gerenciamos as emoções, tanto as nossas como as dos outros - pode ter um papel crítico para determinar nossa felicidade e nosso sucesso. Platão disse que todo aprendizado tem uma base emocional, e talvez ele tenha razão. O modo como interagimos com nossas emoções e as regulamos tem repercussões em quase todos os aspectos de nossa vida.


Entretenimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário