Fertirrigação em mamoeiro é tema de visita na UNESP Ilha Solteira

O Agricultor José Macedo Cafeo irrigante do Assentamento Timboré em Andradina visitou hoje o Laboratório de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e foi recebido atenciosamente pelo Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez.


Junto com o agricultor que adota o SAF - Sistema Agro Pastoril vieram também os Engenheiros Agrônomos Marco A. Baracat e Luís Gilberto B. Franco e o Técnico Agrícola Odélio Dutra Banor, todos funcionários da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (ITESP) de Andradina.


A reunião teve como pauta a fertirrigação em mamoeiro tipo Formosa (técnica em que se utiliza irrigação para levar nutrientes as plantas e ao solo) e os benefícios e planejamento da técnica foram apresentados ao agricultor. Foram discutidos também as questões ligadas ao desempenho do sistema de irrigação, em especial a relação pressão e vazão e como é afetada a distribuição de água e adubo na área irrigada e com isso a produtividade final.


Em relação aos fertilizantes possíveis de ser utilizados o Professor Fernando Tangerino ressaltou que "é muito importante escolher a fonte de fertilizantes mais adequada, em função da concentração do nutriente desejado e da sua solubilidade em água, além de ter um sistema de irrigação com desempenho uniforme, ou seja, a variação de vazão na área não deve passar de 10%".

Já a Estagiária da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira Isabela Baesso recebeu os visitantes no NACI - Núcleo de Apoio Computacional à Irrigação, anexo ao Laboratório de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira onde foi mostrado como funciona o monitoramento climático do noroeste paulista através da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista, que permite ao irrigante praticar o manejo da irrigação, ou seja, aplicar água na quantidade certa à cultura. O tempo de irrigação depende da capacidade do sistema disponível e da seleção adequada do coeficiente (Kc) da cultura que é multiplicado pela evapotranspiração de referência (ETo) divulgada pela UNESP através do Canal CLIMA.

A Fundação ITESP conta com uma Equipe de Engenheiros Agrônomos e Técnicos e presta serviço a mais de 10,5 mil famílias em 174 assentamentos rurais no Estado de São Paulo, auxiliando desde planejamento, desenvolvimento, reflorestamento e outros serviços.

Fertirrigação
Para o  Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez "a fertirrigação deveria ser uma prática obrigatória em sistemas de irrigação, especialmente as sistemas localizados e o pivô central, mas uniformidade de aplicação é um item obrigatório e depende de um bom projeto de irrigação". Sobre o tema fertirrigação, ele concedeu entrevista ao Portal Dia de Campo que está disponível integralmente na página do Portal, baseada no artigo de autoria de KANEKO, F.H.; HERNANDEZ, F.B.T.; SHIMADA, M.M.; FERREIRA, J.P. com o titulo de "Estudo de caso - Análise econômica da fertirrigação e adubação tratorizada em pivôs centrais considerando a cultura do milho". Agrarian, Dourados, v.5, n.161, p.161-165, 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário