Volta a chover após 60 dias no noroeste paulista

Após sessenta dias sem chuva na região, volta a chover no noroeste paulista, uma ótima notícia após a seca antecipada ocorrida este ano que teve início em  maio, pelo menos um mês antes do esperado, além de que já viemos sofrendo as consequências da escassez de água desde janeiro, como comentado pelo Professor e Engenheiro Agrônomo Fernando Tangerino no PodIrrigar desta semana.


Nos dias 9, 10, 18 e 23 de julho houve uma pequena precipitação na região, porém apenas no dia 24 esta precipitação foi superior a 10 mm, valor mínimo para ser considerado chuva para a agricultura, ficando registrado acima de 20 mm em todas as oito estações da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista


Em Itapura, onde foi registrada a menor precipitação entre as estações no último dia 24 foram marcados 20,1 mm, Marinópolis com a maior chegou a 29,2 mm. Em um único dia de chuva a marca da média histórica foi ultrapassada, sendo esta aproximadamente 10 mm para o mês de julho.

A baixa intensidade, não ultrapassando  os 20 mm/hora, significa que toda a água vai infiltrar ao invés de escorrer, e isso é água para a zona radicular, uma boa notícia, porém o volume ainda não é suficiente para o enchimento dos lagos, os quais não vão sofrer alteração de nível. Mas nem sempre é assim, chuvas intensas são frequentes, e já há algum tempo insistimos na comunicação e conscientização de que precisamos segurar a água na bacia hidrográfica, ou seja, a água precisa infiltrar ao invés de escorrer e assim sairá pelas nascentes tranquilamente, formando os córregos e alimentando os rios e garantindo água de qualidade e em quantidade para todos os usos, inclusive na estação seca.

Outra boa notícia é que apesar de pouco e ainda insuficiente para suprir toda a escassez de água até o momento, a chuva acumulada em julho já é três ou quatro vezes superior ao esperado para o mês em relação ao histórico, que como citado é de 10 mm:



Em três das oito estações o volume de chuva acumulado já é superior a 40 mm, como é o caso de Ilha Solteira com 42,9 mm, Santa Adélia (Pereira Barreto) 45,7 mm e Marinópolis com 44,2 mm. Bonança (Pereira Barreto) está próxima dos 40, com 37,8 mm e Itapura com 35,6 e Santa Adélia Pioneiros (Sud Menucci) com 36,1 mm também já ultrapassaram a más que três vezes o volume esperado. Um pouco atrás estão Populina com 25,7 mm e Paranapuã com 29,2 mm, que apesar de marcarem os menores valores ainda estão com volumes mais que duas vezes superiores ao histórico.

Mantenha-se informado, acompanhe as chuvas e o clima na região em tempo real no Canal CLIMA da Área de Hidráulica e Irrigação: http://clima.feis.unesp.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário