Saiba sobre a Precipitação e Evapotranspiração no Noroeste Paulista

Quando falamos de Irrigação muitas pessoas ainda acreditam que podem apenas ligar seu sistema de irrigação uma vez por dia durante algumas horas e que tudo vai bem. Porém cada vez mais conceitos de Evapotranspiração de referência (ETo), coeficiente da cultura (Kc), balanço hídrico vêem sendo explorados e estudados por pesquisadores para que informações concretas cheguem direto ao produtor para que ele entenda quais os benefícios da aplicação correta de água no desenvolvimento ideal da cultura e também para o uso racional da água evitando desperdício.
Definir a taxa de Evapotranspiração de determinada cultura é de suma importância na hora do planejamento e manejo da irrigação, pois é ela que vai determinar a quantidade de água que devemos aplicar para suprir as necessidades hídricas de cada cultura em determinada região, variando com o tipo de solo, clima e também fatores geográficos como altitude e longitude.

A aluna Isabela Baesso Américo integrante da equipe da Área de Hidráulica e Irrigação, junto com o Prof. Dr. Fernando Tangerino desenvolveu um trabalho intitulado "Precipitação e Evapotranspiração de referência no Noroeste Paulista" que será apresentado no XXIV Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem. 
O trabalho teve como objetivo levantar dados de precipitação e evapotranspiração de referência nos últimos dois anos através da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista e então o Software de sensoriamento remoto conhecido como ILWIS, foi utilizado para interpolar os dados de precipitação acumulada durante cada ano e a média durante os dois anos assim como mapas da média da ETo (mm/dia).
ETo média dos últimos dois anos no Noroeste Paulista e média da precipitação acumulada.

Após finalizados, os mapas foram analisados e foi possível identificar nos mapas de ETo que não houve grande variação das taxas de Evapotranspiração, o que auxilia o produtor na hora de escolher a melhor época de plantio e o melhor sistema de irrigação, através do conhecimento temporal e espacial da distribuição ao longo do ano em cada região.
Já a chuva apresentou variação espacial em determinadas regiões, no ano de 2012 algumas estações acumularam maior quantidade de chuva do que em 2013 e vice versa para outras, mostrando a grande irregularidade da precipitação no Noroeste Paulista nos dois últimos anos.

Confira o trabalho completo acessando
http://www.agr.feis.unesp.br/pdf/IBA_precipitacao_evapotranspiracao_de_ref__noroeste_paulista.pdf

Outras informações sobre o clima você encontra em
clima.feis.unesp.br

Trabalhos, noticias, eventos e tudo relacionado a Área de Hidráulica e Irrigação é possível encontrar em
http://www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário