Do noroeste paulista paulista para a Europa: pesquisadores conhecerão nossas pesquisas


Pod Irrigar - Informações de satélite combinadas com estações agrometeorológicas comprovam os ganhos de produtividade da água com o uso da irrigação
Já estamos em Amsterdam, na Holanda, onde a UNESP Ilha Solteira marcará a primeira presença nas conferências SPIE Remote Sensing, o principal evento do sensoriamento remoto mundial, onde pesquisadores do mundo inteiro se reúnem para trocar experiência e apresentar os seus resultados de pesquisa. Comigo por aqui outros dos nossos parceiros, Christopher Neale do Water for Food e os parceiros da EMBRAPA Heriberto Teixeira e Janice Leivas.
Nossos trabalhos combinam o uso de informações orbitais, ou seja, imagens do satélite Landsat com os dados obtidos em estações agrometeorológica em terra para avaliar a mudança do uso do solo. Um dos trabalhos que iremos apresentar observa desde 1996 a evolução do uso da água através da implantação do maior projeto de irrigação em três bacias hidrográficas do noroeste paulista e ainda conversão desta em alimentos, o que chamamos de produtividade da água. Com a crise por água, este trabalho ganha ainda mais relevância, pois muitos ainda não percebem a diferença entre gasto e uso da água. Na irrigação, usamos água, até mesmo a de má qualidade, para a produção de alimentos. A água do solo, passa pelas plantas e vai para atmosfera através de um processo chamado de evapotranspiração e posteriormente vai cair novamente na forma de chuva formando o que chamamos de ciclo hidrológico.
A máxima produtividade da água ficou em 3 kg m-3 nas bacias hidrográficas, enquanto que nas áreas irrigadas chegou a 6,7 kg m-3 e os resultados comprovam mais uma vez que é extremamente temerário a produção de alimentos no noroeste paulista sem o uso de sistemas de irrigação, devido às elevadas taxas de evapotranspiração e o déficit hídrico correspondente. Este foi o tema do Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura Irrigada desta semana. Ouça também os anteriores.

SPIE Remote Sensing 2014

Chuva no noroeste paulista

XXIV CONIRD

Uso da água

Ranking - Crise das universidades paulistas
As 20 melhores universidades do Brasil, segundo a Folha. A SP é a mais bem colocada no Ranking Universitário da Folha (RUF) que avaliou 192 instituições de ensino superior no Brasil. A avaliação é feita com base em cinco critérios: pesquisa ( nota máxima de 42 pontos), ensino ( nota máxima de 32 pontos), avaliação do mercado (nota máxima de 18 pontos), internacionalização ( nota máxima de 4 pontos) e inovação (nota máxima de 4 pontos). Cada um dos critérios é subdividido em itens, que podem ter diferentes pesos na nota de cada critério. A UNESP fica em 6o lugar e precisa melhor muito em internacionalização.

As três universidades públicas paulistas passam por uma crise de gestão financeira. Na USP, se gasta mais com os Técnicos do que com Docentes

Negócios

A Exame selecionou cinco vídeos para mudar sua rotina de empreendedor. Para Abílio Diniz (1) - 10o líder mais admirado pelos jovens e presidente do Conselho de Administração da BRF -, o futuro está nas mãos de jovens empreendedores. No vídeo da Endeavor, ele fala sobre liderança e aprendizado. É preciso pensar grande, sem deixar de amar o que você tem hoje. A chave de sucesso está em aprender a conhecer quem faz parte do seu time.

Carreira - Empreendedor - Estágio

Música - Entretenimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário