Aula QUATRO e a agropecuária brilha de novo, imagina então a irrigada com seus efeitos multiplicadores

"As dificuldades podem também abri oportunidades de atacar fraquezas e implementar reformas, a fim de lançar uma nova fase de prosperidade." (Christine Lagarde, Diretora Geral do FMI, em visita ao Brasil e publicado na revista Época, 25 de maio de 2015, p. 15).

Pod Irrigar - "PIBinho" e a agropecuária
Na sexta-feira, dia 29 de maio de 2015 foram publicados os números da economia brasileira. Foi confirmado o que já estava previsto: o PIB encolheu 0,2% no primeiro trimestre e algo deveria preocupar a todos os brasileiros: caiu também o consumo das famílias, -0,9%. Ou seja, as famílias estão gastando menos nos supermercados e naquilo que levam para dentro de casa. E a situação do Brasil poderia ser ainda pior, se novamente a agropecuária não mostrasse a sua força e eficiência.
Em 12 meses, nosso PIB caiu 0,9%, o pior resultado desde 2008. Investimentos despencaram por quatro trimestres seguidos e a indústria também foi mal. Sobrou para nós, que trabalhamos na agropecuária "salvar" de novo a nossa economia com um crescimento de 4% no ano e 4,7% no trimestre. No rodapé das páginas da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira há um banner em que há mais de dez anos afirmamos que "que quem planta tecnologia, colhe produtividade". É bem isso, a despeito da burocracia, dos impostos exorbitantes, das estradas esburacadas, dos portos ineficientes e caros, que formam o chamado "Custo Brasil" temos aumentado no campo nossa competitividade. Eficiente, moderna, empregamos alta tecnologia e produzimos alimentos para o Brasil e para o mundo. A agropecuária foi o único motivo de comemoração do PIB. "É o setor que sempre tem superávit enquanto outros setores como indústria e comércio tem défcit. A gente tem salvado a balança comercial e o PIB", conta o agricultor Ricardo Arioli. Ainda assim, o MAPA não escapou do corte no orçamento e ainda muitos não reconhecem ou não tem a compreensão da importância da agropecuária brasileira. Da mesma forma, muitos não se deram conta de que sob a imprevisibilidade das chuvas fazemos este sucesso todo, imagina quando voltarmos ao ritmo do crescimento da agricultura irrigada de 2013 e irrigarmos ainda mais? Políticas públicas integradas e consistentes podem e devem contribuir para a conscientização e efetividade da agricultura irrigada e seus efeitos multiplicadores sócio-econômicos! Esse foi o tema que desenvolvemos esta semana no Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura Irrigada desta semana. Ouça também os anteriores.

Aulas
As aulas da semana começaram com comentários sobre o desempenho do PIB no primeiro trimestre quando a agropecuária marcou presença na imprensa por crescer 4,7% enquanto que a economia em geral encolheu reforçando ainda mais o papel do nosso setor. Engana-se quem aposta que perderemos a nossa vocação natural para a agropecuária. Enquanto a economia brasileira no geral recua, a agropecuária mostra força e avança. IBGE registra queda do PIB de 0,2% puxada pelo desempenho negativo do setor de serviços e da indústria. Enquanto o consumo das famílias também caiu (-1,5%) - a maior retração desde o último trimestre de 2008 e também os serviços (-1,2%) e a indústria (-3%), a agropecuária foi a única que apesar de todas as dificuldades, conseguiu registrar resultado positivo e assim, a força do produtor rural evitou um tombo ainda maior do país. Miguel Daoud diz que "Nosso setor é tão forte que consegue progredir mesmo atravessando a crise instaurada pelas incompetências e desmandos atrelados ao projeto de poder de Dilma e do PT. O produtor rural precisa ser mais ouvido e ter uma representatividade mais efetiva para ter ainda mais força e produzir cada vez mais. É sobre isso e muito mais que falo em minhas palestras sobre perspectivas para o agronegócio."  Mas confira também onde a economia brasileira cresce e onde ela afunda na análise da revista Exame.

Também falamos sobre os perímetros ou distritos de irrigação que estão presentes no Nordeste e em alguns Estados como Goiás e Minas Gerais. Também discutimos a legislação dos recursos hídricos (Lei 9.433 de 8/01/1997 - Lei das Águas e a Lei 12.787 de 11 de janeiro de 2013 - Política Nacional de Irrigação que destacamos em artigos publicados na imprensa e também no Pod Irrigar), com seus princípios, objetivos e instrumentos. Introduzimos os conceitos de bacia hidrográfica delimitada pelo divisor de águas e tendo o talvegue como canal de escoamento ladeado pela APP e a importância da reserva legal e de ações que promovam a infiltração da água e o escoamento de base em detrimento do escoamento superficial, que vai causar erosão e assoreamento e ainda afetar a qualidade e a disponibilidade de água, especialmente elevando a concentração de ferro, principal problema para a irrigação localizada. A questão ambiental às vezes se torna um entrave e agentes públicos tem ainda que conversar para viabilizar uma agenda de consenso na regularização ambiental.

As propriedades físico-hídricas dos solos foram discutidas quando o conceito de balanço hídrico foi introduzido e assim os efeitos da granulometria do solo (textura) sobre a CAD, Capacidade de Campo, Ponto de Murchamento Permanente, Saturação, evapotranspiração de referência, potencial e atual foram exemplificados. Para relembrar conceitos e as propriedades físico-hídricas dos solos e exercícios consulte PREVEDELLO, C.L. (1996), REICHARDT, K. (1987) e REICHARDT, K. e TIMM, L.C. (2004). E o resultado do balanço hídrico que caracteriza numericamente uma seca foi exemplificado com situações e ações no nordeste e no Rio Grande do Sul, incluindo o bom exemplo da agricultura irrigada e seus resultados. O Professor Paulo Cesar Sentelhas da ESALQ-USP desenvolveu uma série de planilhas interessantes para se fazer o balanço hídrico. Ou se preferir faça o download no canal da AHI! Mas conheça também o Banco de Dados Climáticos do Brasil - EMBRAPA! Sobre evapotranspiração, Yane Freitas fez um didática postagem. Confira!

Palestra
A semana que findou estivemos em Jales, onde no dia 3 de junho de 2015 ministramos a palestra "Transformando em oportunidade a crise hídrica", encerrando a VIII SEAGRO - Semana Acadêmica do Agronegócio, promovida pela FATEC - Faculdade de Tecnologia e ETEC - Escola Técnica Estadual de Jales. Mais uma vez tentamos a convencer os estudantes a se prepararem adequadamente e dissemos que correrá sérios riscos quem ficar esperando para ver o que acontece e a adaptação a essa realidade será, cada vez mais, uma questão de sobrevivência. 


Exemplificamos como os desafios e mudanças ao longo do tempo, como as novas tecnologias em sistemas de irrigação e que a sustentabilidade dos sistemas de produção deve se dar à luz do cumprimento da legislação ambiental, cada vez mais restritiva, mas que deve ser entendida em oportunidade, porém os profissionais devem se preparar e se capacitar cada vez mais. "A cada dia que passa os produtos concorrentes ficam mais similares em termos de tecnologia e preços. Assim, o diferencial estará, portanto, na capacidade da empresa ou profissional em ser diferente e este diferencial estará a cada dia mais na prestação de serviços", dissemos à um público formado por essencialmente estudantes e professores ligados a agropecuária. Também encontramos alunos e amigos e depois de um dia intenso, foi uma grande satisfação fazer esta palestra na Câmara Municipal de Jales.



Água e alimentos para todos - Sustentabilidade - Segurança e recursos hídricos


O programa Capital Natural com Marina Machado tem feito ótimas entrevistas na Band News. Sobre a Crise Hídrica temos as Partes I, II, II A, III, E na revista Época também encontramos um especial sobre a Crise Hídrica.


Especialista da Thomson Reuters diz que El Niño deve ganhar força e elevar produção de grãos e  avalia que fundamentos indicam tendência baixista para o mercado internacional. Para o USDA, os americanos devem colher 346,22 milhões de toneladas de milho e 104,78 milhões na soja na temporada 2015/2016. As projeções apresentadas por Corey Cherr são mais otimistas, de 358 milhões de toneladas do cereal e 108 milhões da oleaginosa. À conferir.

Irrigando pastagem e Sistemas de irrigação
Irrigar pastagem é uma realidade com ótimos resultados como mostra a reportagem realizada em MT. O destaque fica para o uso de aspersores de baixa vazão-precipitação e baixa pressão. 


Empreendedorismo - Vendendo ideias ou ensinando
Eu sempre gostei de abusar das imagens em minhas apresentações, mesmo reconhecendo as limitações, mas como sempre disponibilizo as apresentações, o interessado pode voltar a ver com atenção as imagens e os conceitos envolvidos na palestra ou aula. Mas existe a receita/regra 10-20-30 para apresentações de sucesso, onde vender bem uma ideia é um desafio para qualquer empreendedor. Saiba como se preparar para isso!

Há 1.790 vagas em 8 cursos EaD gratuitos ligados aos recursos hídricos. São eles: Outorga do Direito de uso dos Recursos Hídricos, Comitê de Bacia: O que é e o que faz?, Comitê de Bacia: Práticas e procedimentos, Alternativas Organizacionais para Gestão dos Recursos Hídricos, Agência de Água: o que é, o que faz e como funciona, Plano de Recursos Hídricos e Enquadramento de Corpos de Água, Hidrologia básica e Água em Curso.

Lançamento de livro
"Plantas de cobertura em rotação com soja e milho" é o livro recém publicado escritos por Wander Luis Barbosa Borges, Marlene Cristina Alves e Marco Eustáquio de Sá, os dois últimos, professores da UNESP Ilha Solteira. Parabenizamos-os pela iniciativa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário