Aula CATORZE - Irrigação localizada


Pod Irrigar - UNESP mais uma vez presente no Inovagri Internation Meeting
Em muitos Estados brasileiros, estudantes, professores, pesquisadores e demais profissionais que trabalham com a agricultura irrigada já estão na preparação final dos seus trabalhos para participarem do III Inovagri International Meeting que começará 31 de agosto de 2015 e que reunirá os mais expressivos pesquisadores em Fortaleza para discutir o estado da arte da irrigação e agroclimatologia.
Para prestigiar e aprender com os palestrantes nacionais e internacionais estarão ao menos 800 inscritos e além das palestras, debates, mesas-redondas haverá a apresentação de quase 600 trabalhos técnicos-científicos nos 4 dias de evento e ainda livros serão lançados.
A UNESP Ilha Solteira estará mais uma vez presente e a Área de Hidráulica e Irrigação estará representada pela participação na 7° Mesa Redonda que discutirá a utilização do Boletim FAO 56 no Brasil e na América do Sul. O Boletim 56 completou 15 anos de sua publicação e tem como autores Richard Allen, Dirk Raes e Luis Santos Pereira - que estarão presentes - e ainda Martin Smith. A publicação se tornou a maior referência na estimativa do consumo de água pelos diferentes cultivos contendo os procedimentos metodológicos para o uso racional da água. Também nossos Orientados apresentarão cinco artigos técnico-científicos. Dois tratarão da expansão da agricultura irrigada no oeste paulista, outro artigo trata do uso do modelo SAFER em áreas urbanas, avaliando o efeito das áreas verdes irrigadas em condomínios na evapotranspiração e no conforto térmico proporcionados. SAFER também é utilizado para avaliar a estacionalidade da evapotranspiração e produtividade da água em microbacia e ainda outro artigo discutirá a evolução da atenção da mídia à temas ligados a agricultura e climatologia no noroeste paulista.
O Inovagri International Meeting é uma realização do Instituto Inovagri e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Engenharia da Irrigação e desde a sua primeira edição tem como característica reunir renomados pesquisadores estrangeiros e brasileiros em torno da agricultura irrigada permitindo uma interação e intercâmbio de ideias entre os participantes, materializada em diferentes oportunidades de cooperação. Você que trabalha com ou na agricultura irrigada não vai perder esta oportunidade de participar, vai? O III Inovagri International Meeting acontecerá de 31 de agosto a 3 de setembro, em Fortaleza e a programação já pode ser conferida. Este foi o tema do Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura Irrigada desta semana. Ouça também os anteriores.

Aula - Sistema de Irrigação Localizada
Nas aulas da semana passada finalizamos o projeto de aspersão, conhecemos em detalhes os materiais e conexões utilizadas em irrigação localizada e os conceitos envolvidos na elaboração de um projeto de irrigação. A irrigação é o método artificial de aplicação da água na agricultura que tem a finalidade de suprir as necessidades hídricas da planta, em caráter total ou suplementar. Isto quer dizer que a irrigação viabiliza o cultivo de espécies de plantas em locais onde, sem sua aplicação, seria impossível suprir as plantas com água. Através do desenvolvimento tecnológico e da criação de diferentes métodos de irrigação e metodologias de manejo, a irrigação tornou-se sinônimo de eficiência de produção, modernidade e de garantia de qualidade aos produtos. Em aulas reforçamos o manejo da irrigação, onde conceitos como evapotranspiração de referência e da cultura, coeficiente de cultura, CAD, água disponível, reserva de água no solo, umidade crítica, velocidade de deslocamento, lâmina aplicada, entre outros, foram ensinados.

Esta semana conhecemos os sistemas de irrigação localizada, onde a microaspersão e o gotejamento são os emissores mais utilizados. Conhecemos os detalhes do método de irrigação localizada (A) e as características dos emissores em relação ao comportamento da vazão em relação a pressão e assim reconhecemos em função do regime de fluxo (turbulento ou laminar) como se comportará o expoente da pressão na equação característica. Também souberam que existe os emissores auto-compensantes, que tem a vazão regulada por uma membrana. Ronaldo Santos em um dos seus trabalhos fez a avaliação de emissores, incluindo o gotejamento em sub-superfície, utilizado em culturas como por exemplo, a cana de açúcar ou o algodão. Também citamos o trabalho de Maurício Konrad que compara os de sistemas de irrigação localizada sobre a produção e qualidade da acerola na região da Nova Alta Paulista. Um bom video mostra as etapas da implantação e operação de sistema de irrigação por gotejamento em sub-superfície. Confira!

Os critérios de projeto continuam os mesmos. A perda de carga deve ser de no máximo 20% da pressão de serviço, mas como na irrigação localizada há a linha lateral e a linha de derivação, a perda de carga deve ser dividida entre estas linhas e assim, 55% dos 20% da pressão de serviço deve ser perdido na linha lateral (11% da pressão de serviço) e outros 45% dos 20% devem ser o máximo na linha de derivação (9% da pressão de serviço), sem esquecer do ganho de ganhar pela diferença de nível. A perda de carga pode ser calculada por Hazen-Williams ou pela Equação Universal. A escolha do diâmetro da tubulação deve ser pelos critérios de dimensionamento de adutoras (linha principal) e da tubulação de sucção que devem ficar em torno de 2,0 e 1,0 m/s a velocidade do fluido, respectivamente, por razões econômicas (vimos os impactos do diâmetro da tubulação sobre os custos e investimentos anuais) e também por não proporcionar condições favoráveis ao impacto do Golpe de Ariete. Importante relembrar os ensinamentos da disciplina de Hidráulica em relação a perda de carga localizada e as questões ligadas à cavitação, onde o NPSHd deve ser sempre maior que o NPSHe, o primeiro uma característica do local e o outro uma característica do equipamento. Importante deste ponto do curso para frente é sempre trazer a apostila de Hidráulica com os coeficientes técnicos utilizados nas equações e em casa, relembrar a escolha do conjunto moto-bomba a partir de catálogos dos diferentes fabricantesUm bom video mostra as etapas da implantação e operação de sistema de irrigação por gotejamento em sub-superfície. Confira!

Tanto a disponibilidade ou vazão, como a qualidade da água encontrada dependem de como tratamos o solo na bacia hidrográfica, que é a região delimitada por divisores de água, que são os pontos mais altos do terreno. Ausência de conservação do solo, que envolve, por exemplo, terraceamento, cobertura do solo, presença de matas ciliares, causa erosão e com as chuvas, resulta em assoreamento dos córregos e rios, e como isso afeta diretamente a qualidade da água que pode ser classificada em fatores físicos, químicos e biológicos e pode afetar o homem, a cultura de interesse ou os equipamentos de irrigação. Conforme o interesse pelo uso da água, cada elemento assume importância diferente. No caso da irrigação, os principais problemas decorrentes de uma água de má qualidade estão relacionados com a obstrução física de equipamentos, contaminação de alimentos e toxicidade iônica específica, popularmente chamada de “queima” das plantas.

Agenda - Próxima palestra

Economizando e produzindo água
A seca prolongada na California continua sendo notícia, assim como aqui. Esta semana com o título "O mar de 96 milhões de bolas de plástico em que Los Angeles espera que irá salvá-los da seca" foi o destaque e esta é mais um das técnicas empregadas para economizar a água. Neste caso, diminuir a evaporação dos reservatórios. A prática ganhou destaque em toda a imprensa e os videos do lançamento das bolinhas pretas ganharam o mundo e "bombaram" na Internet. E o Prefeito fez até a "inauguração" da "obra".


"O reservatório é coberto por um oceano de esferas pretas para parar de 300 milhões de litros de água que se evapora anualmente. Sem aparente alívio à seca recorde da Califórnia, Los Angeles se transformou em métodos mais incomuns para proteger as águas da cidade. Funcionários lançaram recentemente 96 milhões de bolas flutuantes que formam uma "sombra" de 30 hectares sobre o Los Angeles Reservoir em Sylmar, Califórnia.


As bolas de plástico preto são projetados para ajudar a proteger a água contra poeira, chuva, produtos químicos e animais selvagens, bem como impedir que 300 milhões de litros de água evapore cada ano." Saiba mais em texto, fotos e video... E se desejar saber mais sobre agricultura, irrigação e recursos hídricos na California, que tal escutar a California Ag News Radio?

Por aqui, os reservatórios de acumulação estão com níveis baixos trazendo insegurança hídrica e a briga está grande para plantar arvores, proteger nascentes, eliminar tabôa (Typha) que já levantamos os dados e "bebe" - evapotranspira - mais água que os cultivos irrigados na própria microbacia em que está inserida. Para se ter um número, somente no reservatório de Ilha Solteira, em um ano normal, em julho, são "apenas" 122.354 hectares de espelho de água que manda em média 247.471 m3/hora de água evaporada para a atmosfera. É mole? Melhor proteger as nascentes e garantir a infiltração e recarga do lençol freático.

Nenhum comentário:

Postar um comentário