Aula DEZESSETE - Manejo a irrigação e mais sobre agricultura irrigada


Pod Irrigar - E com muito sucesso se encerrou o III Inovagri International Meeting
Em Fortaleza foi finalizada mais uma edição do Inovagri International Meeting, que mais uma vez se apresenta como o mais amplo, internacional e importante evento da agricultura irrigada realizado no Brasil. Durante quatro dias quarenta palestrantes de Brasil e de vários outros países se revezaram no palco para compartilhar suas experiências profissionais, que devido ao tempo restrito não temos condições de abordar todos os temas discutidos. Mas o III Inovagri Meeting dedicou grande parte da sua programação ao uso da água em tempos de crise hídrica no Brasil. Para mim que sou da academia e defendo a intensificação dos trabalhos de extensão universitária, conhecer o trabalho dos profissionais do Serviço de Extensão Cooperativa da Universidade da California foi foi importante. Mostraram como enfrentam e minimizam a crise hídrica que está no quarto ano em três regiões e realidades diferentes. A realidade do uso da água para irrigação em algumas regiões da Espanha e de todo o Chile também foram adequadamente abordadas.




O uso da água teve também destaque com a discussão em torno do Boletim FAO 56 que apresenta toda a metodologia de aplicação correta da água na agricultura, com a estimativa do consumo de água pelas diferentes culturas em todo o seu ciclo. Com três dos quatro autores presentes a discussão foi muito rica e tivemos a oportunidade de mostrar como podemos melhorar a precisão de estimativa e o uso da evapotranspiração atual associando coeficientes de cultura à Graus-Dia Acumulado, mas, mais que isso, devemos nos dedicar a transferir de fato, o conhecimento contido na publicação para o irrigante, seja através de trabalhos de extensão ou no aumento de profissionais assessorando nossos irrigantes.

Fonte: Irrigation performance assessments for corn crop with Landsat images in the São Paulo State, Brazil. (A.H.C. Teixeira; F.B.T. Hernandez; R.G. Andrade; J.F. Leivas; D.C. Victoria; E.L. Bolfe. http://www.agr.feis.unesp.br/pdf/safer_irrigation_performance_bonanca_2013_inovagri.pdf)




Agradecemos a Comissão Organizadora e ao Instituto Inovagri por mais este convite para mais uma vez atuar como palestrantes e os parabenizamos pelo sucesso mais uma vez alcançado. Também tivemos a oportunidade de ministrar o curso de Fertirrigação na Frutal, a feira de flores e frutas do Ceará que está na sua 22 edição, tendo a oportunidade agora de me encontrar com produtores de alimentos o que nos traz também grande satisfação. Parabéns ao Ceará pela evolução técnica na gestão dos recursos hídricos e na produção de frutas, flores e leite, tendo a irrigação como vetor do sucesso destas atividades.



Aulas - Manejando e projetando os sistemas de irrigação
Nas aulas passadas desenvolvemos o tema manejo da irrigação via atmosfera, onde conceitos como evapotranspiração de referência e da cultura, coeficiente de cultura, CAD, água disponível, reserva de água no solo, umidade crítica,velocidade de deslocamento, lâmina aplicada, entre outros, foram ensinados. Todas estas informações podem ser aprofundadas através da centena de exercícios disponibilizados em nosso canal "Atividades Acadêmicas" e também no Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira onde além de dados climáticos e a evapotranspiração de referência, é possível fazer download do software SMAI, que possibilita ao usuário que disponha de apenas os variáveis climáticas, calcular a evapotranspiração de referência.

Todo programa de manejo da irrigação começa com a avaliação da uniformidade da irrigação em campo e discutimos em sala de aula as diferenças na avaliação em campo entre a irrigação por aspersão e a localizada e ainda sobre a maior dificuldade e custos de avaliação e readequação de um campo de golf, que exigiria investimentos altos. Após a avaliação e melhorando o desempenho dos sistemas de irrigação temos os seguintes benefícios tais como: Melhoria da eficiência da aplicação da água, Aumento da produtividade, Aumento do lucro, Melhoria da qualidade da água, Diminuição do total da água aplicada, Diminuição da energia utilizada, Diminuição dos nutrientes e defensivos lixiviados, Diminuição do escorrimento da água e da erosão e Redução das doenças nas plantas. O artigo "Caracterização hidráulica de gotejadores em condição superficial e subsuperficial" é um ótimo exemplo de avaliação de sistemas de irrigação, com uma metodologia bem descrita.

Vários órgãos e Instituições utilizam os Laboratórios Móveis para avaliação dos sistemas de irrigação na propriedade. Por exemplo, na Florida, Estados Unidos, o Laboratório Móvil de Irrigação (Mobile Irrigation Lab - MIL) foi implantado em janeiro de 1999 com o objetivo de promover a conservação da água e energia através da melhoria da eficiência dos sistemas de irrigação, para promover a melhoria da qualidade da água minimizando a lixiviação dos nutrientes além da zona radicular mantendo-os entre as raizes para a melhor absorção, para promover a sustentabilidade da agricultura através da redução dos custos de produção, através da redução dos gastos com energia e fertilizantes e o aumento da produtividade das culturas. Veja quantos são e onde estão baseados. Sugerimos a leitura dos artigos que avaliaram o desempenho dos sistemas de irrigação na MBH do Córrego do Coqueiro e do Três Barras e entendam a importância de se conhecer a capacidade e qualidade da aplicação de água dos sistemas de irrigação.

Em aulas reforçamos o manejo da irrigação, onde conceitos como evapotranspiração de referência e da cultura, coeficiente de cultura, CAD, água disponível, reserva de água no solo, umidade crítica,velocidade de deslocamento, lâmina aplicada, entre outros, foram ensinados. Em relação ao manejo da irrigação via solo há a necessidade de se medir a umidade no solo e a partir daí chegar ao total de água armazenado na faixa que representa a profundidade efetiva do sistema radicular. Para tanto a curva de retenção de água no solo é fundamental e o modelo de Genucthen (1980) é muito útil para trabalharmos matematicamente estes dados e Dourado Neto et al (2000) escreveram o software SWRC que nos ajuda muito na modelagem, na busca pelos parâmetros do modelo e com estes dados podemos também construir com este conhecimento, o tensiômetro de faixa, ou "semáforo". Os livros-textos (didáticos), bem como os softwares e sítios para os temas abordados estão disponíveis no canal "Atividades Acadêmicas - Bibliografia" no canal da Área de hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira.
Tensiômetro monitorando a umidade do solo cultivado com grama e citros no entorno do LHI.


Consideramos o maior de todos os desafios é a implantação do manejo da irrigação pelo irrigante, exatamente por demandar conhecimento técnico e prática diária de coleta de informação e cálculos para a tomada de decisão. Trata-se de um grande desafio em qualquer lugar do mundo em que se use a irrigação para garantir as elevadas produtividades. Veja alguns exemplos de eventos para treinar e disseminar o conhecimento neste tema na Nova Zelândia (1) e Estados Unidos (OregonMaryland). Mas assista também o depoimento de irrigante no Perímetro Baixo Acaraú no Ceará e os cuidados com os tensiômetros para o manejo da irrigação. A previsão do tempo é uma ferramenta importante e deve ser utilizada em conjunto para decidir o início da irrigação. Vários serviços estão disponíveis, o Forecast é apenas mais um exemplo!

Sobreposição é o princípio do método de aspersão.

Todas estas informações podem ser aprofundadas através da centena de exercícios disponibilizados em nosso canal "Atividades Acadêmicas". No canal do Youtube, há ótimos videos produzidos pela nossa equipe de Extensão. Confira o "Cuidados para se ter projetos adequados de irrigação", "Escolha da tarifa de energia elétrica para irrigação: estudos de caso" e "Pivô central irrigando soja". Estamos convictos que com tanto material de referência, aulas bem ilustradas em sala e em campo, somente não aprende, quem não desejar, porque são inúmeras as oportunidades adicionais além das aulas semanais.

Manejo da irrigação via atmosfera
Em relação ao manejo da irrigação via atmosfera fizemos um exemplo real de manejo em pivô central. Os livros-textos (didáticos), bem como os softwares e sítios para os temas abordados estão disponíveis no canal "Atividades Acadêmicas - Bibliografia" no canal da Área de hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira.
Consideramos o maior de todos os desafios é a implantação do manejo da irrigação pelo irrigante, exatamente por demandar conhecimento técnico e prática diária de coleta de informação e cálculos para a tomada de decisão. Trata-se de um grande desafio em qualquer lugar do mundo em que se use a irrigação para garantir as elevadas produtividades. Veja alguns exemplos de eventos para treinar e disseminar o conhecimento neste tema na Nova Zelândia (1) e Estados Unidos (OregonMaryland). Mas assista também o depoimento de irrigante no Perímetro Baixo Acaraú no Ceará e os cuidados com os tensiômetros para o manejo da irrigação. A previsão do tempo é uma ferramenta importante e deve ser utilizada em conjunto para decidir o início da irrigação. Vários serviços estão disponíveis, o Forecast é apenas mais um exemplo!

É um pouco antigo, mas é ainda é um ótimo vídeo sobre a importância da agricultura irrigada, os sistemas de irrigação e o manejo da irrigação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário