[Pod Irrigar ] - Reconhecendo os sistemas de irrigação

Pod Irrigar - Reconhecendo os sistemas de irrigação
A edição desta semana do [Pod Irrigar] tem inspiração em uma visita que fiz à um casal de amigos neste final de semana. Com o Google Earth aberto para mostrar à nossa querida Ilha Solteira, a nossa amiga disparou: "O que são estas bolas aí e que eu vejo muitas vezes, quando estamos no avião?"
Como sou da área de irrigação, meu primeiro ímpeto foi imaginar que teria sido uma pergunta tola, porque todos já deveriam ter entrado em contato e saber que estas bolas verdes contrastando com as terras no seu entorno são os sistemas de irrigação chamados de pivô central, a mais alta tecnologia em eletrônica embarcada entre os sistemas de irrigação.
Pois é, eu estava enganado e contando essa história em sala de aula, nossos alunos nos incentivaram a explicar um pouco mais sobre os pivôs centrais.


E assim, para efetivar a agricultura irrigada contamos com métodos e sistemas de irrigação, sendo os métodos, a forma como a água chega até as raízes das plantas, enquanto que os sistemas são as variações dos métodos, que podem ser classificados como de superfície, de sub-superfície, de aspersão e localizado.
No método da aspersão, o sistema pivô central é uma linha lateral de tubos sobre rodas formando torres e fixada em uma extremidade e gira, se deslocando por torres, a fim de irrigar uma grande área circular. A extremidade fixa, o ponto do pivô, é ligada ao suprimento de água (a adutora). Essa linha lateral transversal consiste em uma série de torres - ou vãos - variando em comprimento entre 41 a 55 metros e mantida a cerca de 3 a 6 metros acima do chão por uma unidade motriz, uma armação em forma de "A" montada sobre rodas acionadas por motores elétricos, podendo regular a velocidade destas torres e assim controlar a lâmina de água a ser aplicada às plantas e ao solo.


Em 2015 incorporamos 78 mil novos hectares irrigados com os sistemas pivô central, cuja área média de 60 hectares foram proporcionadas por braços ou vãos de 438 metros que colocaram aos nossos olhos em torno de 1300 novas "bolas" com diâmetros de 870 metros. Se considerado o período de 200 a 2015 os pivôs centrais representam 37% dos sistemas de irrigação pressurizados instalados no Brasil.
Mais importantes que as "bolas" enchendo nossos olhos com a beleza do verde e demais cores, está a produção de alimentos que gera renda e oportunidades sócio-econômicas para toda uma região e ainda representam a mais moderna tecnologia embarcada, podendo inclusive serem acionados e operados por celulares.

Esse foi o tema que desenvolvemos esta semana no Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura IrrigadaOuça também os anteriores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário