Produtividade da água e quando a agricultura irrigada e o meio ambiente são destaques

"Não há maior riqueza que o conhecimento, nem pobreza que a ignorância." Ali ibn Abi-Talib

[Pod Irrigar] - Entendendo a produtividade da água
Estamos em período de déficit hídrico em boa parte da região Sudeste, o que inclui o Estado de São Paulo e o Noroeste Paulista, onde atuamos através da UNESP com foco na modernização da agropecuária alicerçada nos sistemas de irrigação.
Mas o trabalho da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira vai muito além do monitoramento climático da região que proporciona a construção de balanços hídricos que levam a conclusão técnica da grande vulnerabilidade econômica no campo quando não se conta com investimentos em sistemas de irrigação.
Entre as pesquisas realizadas com foco na agricultura irrigada estão o uso combinado de informações climáticas colhidas em solo através da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista, com técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento, que geram indicadores de desempenho dos sistemas de irrigação e coeficientes técnicos que subsidiam o uso racional da água que podem ser utilizados em outras regiões.
Um dos indicadores é a produtividade da água e vamos entender melhor este poderoso conceito. A produtividade da água em sistemas agrícolas nada mais é do que a relação de quanto se produziu a partir de cada unidade de volume de água utilizada na produção de um dado produto. Por exemplo, estudos da nossa equipe concluíram que na safra de milho irrigado se produziu entre 1,7 a 2,6 kg de grãos de milho para cada metro cúbico ou mil litros de água recebida pela cultura, enquanto que se produziu entre 7 e 13,3 kg de silagem de milho para cada metro cúbico de água.
Mas qual o sentido prático de avaliar a produtividade da água em uma região? O objetivo maior é identificar pontos de estrangulamentos e oportunidades para melhorar o lucro líquido da atividade econômica e ao mesmo tempo em que melhoramos a eficiência do uso da água, ou seja, com o mesmo volume de água, podemos e devemos produzir mais. Podemos então distinguir qual a melhor estratégia a ser adotada, se devemos buscar o aumento da produtividade, neste caso, temos problemas agronômicos a serem resolvidos ou diminuir o total de água aplicada, quando então identificamos problemas de gestão da água. E mais, analisando a produtividade da água em uma mesma cultura em escala regional, podemos identificar e até premiar os melhores produtores de alimentos e usuários da água em uma região.



Confira algumas sugestões de leitura sobre o tema produtividade da água:



Manejo da irrigação e gerenciamento dos recursos hídricos
A busca pela automação e uso de ferramentas tecnológicas que permitam a gestão correta dos equipamentos de irrigação é uma constante e tem sido cada vez mais frequentes seu uso. Para o gerenciamento a distância ou remoto dos sistemas de irrigação, especialmente em relação aos pivô centrais que irrigam grandes áreas destacamos o Irriger Connect e o Fieldnet, sistemas que permitem o controle total dos equipamentos, desde o acionamento e a setorização das lâminas a serem aplicadas até o diagnóstico e o registro de ocorrências.

Contudo, a tecnologia não resolve tudo sozinha e há a necessidade de treinamento constante para que se possa compreender os fatores envolvido no consumo da água pelas plantas e na aplicação da água ao solo. Assim, finalizamos mais um treinamento na UNESP Ilha Solteira, este promovido pela ANA e INOVAGRI e tratou da avaliação de sistemas de irrigação, quando determinamos a capacidade do sistemas de irrigação e com qual qualidade distribuímos esta água ao solo. Quanto mais uniforme a aplicação de água, maior a produtividade das culturas. Saiba como foi este curso! Viabilizada a transmissão on line você pode assistir a parte teórica pressionando AQUI!

No Espírito Santo, em Serra, cafeicultores também receberam treinamento para que possam fazer o uso eficiente da água e a iniciativa foi da INCAPER e SENAR.

E se o problema é estimar a evapotranspiração, a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira tem a solução através do software SMAI - Sistema para Manejo da Irrigação que foi destaque em 30 de abril de 2016 no programa De Ponta a Ponta na TV Tem. E o melhor, é gratuito!

E ficamos muito satisfeitos com as fotos que recebemos direto da UFRGS - IPH, quando alunos da Professora Nilza dos Reis Castro utilizam o SMAI 2.0 para estimativa da evapotranspiração na disciplina de Irrigação e Drenagem.




E também o Programa Ciência Sem Limites abordou o trabalho e os valores da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira. Conheça-nos!



Agropecuária - Economia - Estatística
Melhora na percepção da economia faz agronegócio recuperar otimismo é o que diz pesquisa. O Agronegócio brasileiro retomou o otimismo neste segundo trimestre de 2016. O Índice de Confiança do Agronegócio (ICAgro), medido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), saiu de 82,6 para 102,1 pontos, na comparação entre trimestres. A alta de 19,4 pontos, que volta aos maiores patamares da série histórica, iniciada no terceiro trimestre de 2013, foi causada, principalmente, pela combinação entre a melhora na percepção da economia e os bons preços das commodities.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) atualizou em seu site as informações sobre o mercado agrícola até julho deste ano. São dados, cotações e gráficos sobre dez produtos agropecuários: arroz, café, algodão, complexo carne, complexo soja, milho, trigo, feijão, leite e laranja.

O volume processado de cana-de-açúcar pela região Centro-Sul do Brasil somou 49,09 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na 2ª quinzena de julho de 2016, contra 49,67 milhões de toneladas registradas na mesma quinzena da safra anterior. Nesse mesmo período, a produção de açúcar totalizou 3,10 milhões de toneladas e o volume fabricado de etanol atingiu 2,06 bilhões de litros, dos quais 914,92 milhões de litros de anidro e 1,15 bilhão de litros de hidratado, segundo a UNICA.

Sustentabilidade e curiosidade/entretenimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário