Armazenamento, infra estrutura e mais


A apresentação utilizada nas aulas é um ótimo roteiro para os estudos e aprofundamento do aprendizado, pois contém muitos links externos utilizados para a formulação dos argumentos apresentados. Por decisão do Professor, informações dos anos anteriores, incluindo as safras, forma mantidas como forma de preservar e sistematizar os fatos que caracterizaram estas safras, sem prejuízo da bibliografia indicada para a disciplina de Armazenamento e Beneficiamento de Grãos. Também os marcadores Armazenamento, Logística, GrãosSegurança alimentar, além de Aulas, são opções indicadas para o entendimento dos temas abordados. Nesta postagem, em ordem cronológica, estão alguns fatos que ganharam a imprensa, compilados também na postagem do dia 8 de maio de 2016
14/09/2016 - "Uma nova chance" é o Editorial da Folha que defende: "O Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), divulgado nesta terça-feira (13) pelo governo de Michel Temer (PMDB), constitui mais uma tentativa de destravar a sempre prometida e nunca realizada agenda da infraestrutura. Num momento em que o país debate medidas amargas de ajuste nas contas públicas, o programa também representa uma oportunidade de melhorar as expectativas na geração de emprego. A iniciativa foi anunciada como um rompimento em relação às práticas fracassadas da administração de Dilma Rousseff (PT). Em vez do intervencionismo e da imposição de tarifas artificialmente baixas em tese para benefício do consumidor, o que na prática inviabilizava projetos ou exigia subsídios oficiais, passa-se a priorizar regras estáveis e maior atratividade para investidores privados. O PPI engloba na primeira fase 34 projetos de concessão e privatização. Centrados em transportes e energia, os planos incluem rodovias, aeroportos, terminais portuários e trechos ferroviários. Também serão licitados campos de petróleo e distribuidoras de energia." lembramos que devido ao modelo que o Governo Dilma tentou impor, as concessões do setor ferroviário não passou de um plano de intensões.
15/09/2016: Governo relicitará obra de um trecho da transposição do rio São Francisco sob responsabilidade da Construtora Mendes Júnior que estavam praticamente parados serão relicitados pelo governo. De acordo com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, a empresa informou que não tem mais condição de continuar as obras de seus dois contratos, estimadas em R$ 1,2 bilhão. Os contratos firmados com o Ministério da Integração Nacional são para a construção das estruturas de engenharia da primeira etapa do Eixo Norte do empreendimento, que compreende a captação de água do rio São Francisco, em Cabrobó (PE) e outra próximo ao reservatório Jati, na cidade de Jati (CE), somando cerca de 140 quilômetros de extensão. Mas há grandes chances do canal estar construído e não haver água nas quantidades estimadas quando o projeto foi concebido. O maior reservatório de água do Rio, o de Sobradinho, deve chegar ao volume morto até o fim do ano. No fim do ano passado, ele chegou muito próximo disso. O governo está anunciando um programa de R$ 10 bilhões para revitalizar o rio. (Com mapa de situação).

Soja em números (safra 2015/2016)
- Soja no mundo - Produção: 312,362 milhões de toneladas e Área plantada: 119,732 milhões de hectares (Fonte: USDA)
- Soja nos EUA (maior produtor mundial do grão) - Produção: 106,934 milhões de toneladas, Área plantada: 33,109 milhões de hectares e Produtividade: 3.230 kg/ha (Fonte: USDA)
- Soja no Brasil (segundo maior produtor mundial do grão) - Produção: 95,631 milhões de toneladas, Área plantada: 33,177 milhões de hectares e Produtividade: 2.882 kg/ha (com quebra) - (Fonte: CONAB)
- Mato Grosso (maior produtor brasileiro de soja) - Produção: 26.058 milhões de toneladas, Área plantada: 9,140 milhões de hectares e Produtividade: 2.851 kg/ha (com quebra)
- Paraná (segundo produtor brasileiro de soja) - Produção: 17,102 milhões de toneladas, Área plantada: 5,445 milhões de hectares e Produtividade: 3.141 kg/ha (Fonte: CONAB)
- Rio Grande do Sul (terceiro produtor brasileiro de soja) - Produção: 16,201 milhões de toneladas, Área plantada: 5,455 milhões de hectares e Produtividade: 2.970 kg/ha (Fonte: CONAB)
- Consumo interno de grãos (CONAB): 42,500 milhões de toneladas - Exportação de Grão (Agrostat): 54,3 milhões de toneladas - U$ 21,0 bilhões, Exportação de farelo (Agrostat): 14,8 milhões de toneladas - U$ 5,8 bilhões
- Exportação de óleo (Agrostat): 1,7 milhões de toneladas - U$ 1,2 bilhões. Total exportado (Agrostat): U$ 28,0 bilhões

23/11/2016 - No Editorial "Popularidade e decisão" a Folha aproveita a fala de Nizan Guanaes, que, "resumiu bem a demanda do setor privado por mudanças. Para o publicitário, Temer precisa aproveitar sua impopularidade para aprovar medidas cujos efeitos são, no curto prazo, impopulares. De fato, nessa armadilha o país ficou retido nos últimos anos. A gestão petista, em especial com Dilma Rousseff, distanciou-se da realidade e aderiu à demagogia econômica, seguida por tantos governadores e prefeitos. Os custos estão evidentes - 12 milhões de desempregados e governos quebrados."
23/11/2016 - Em artigo Fernando Pieroni e Marco Aurélio Silva defendem os "Benefícios das concessões", o que para eles "... Concessões e parcerias público-privadas (PPP) trazem importantes benefícios, como atração de tecnologias, modelos de gestão e absorção da engenhosidade do mercado... outro ganho é a flexibilidade. Enquanto o governo mantém sua prerrogativa de formular políticas públicas, o parceiro privado consegue trazer agilidade para implementá-las. Foi o caso do Hospital do Subúrbio, em Salvador, a primeira PPP no setor de saúde do país... E, no final, o que resta é um enorme desserviço ao país. Por isso, precisa ser revisto o discurso retrógrado de que a concessão ou mesmo a privatização prejudicam os cidadãos em benefício de interesses econômicos. Esse discurso tem levado o Brasil a perder importantes oportunidades de avançar e colher os bons frutos de contratos que poderiam aumentar significativamente a eficiência e a qualidade dos serviços presta." Concordo!
23/11/2016 - E tem gente que ainda diz que não há crise... "A vida está dura e difícil até para vender cerveja." A frase é do empresário Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do país e um dos controladores da AmBev, ao comentar a situação econômica do Brasil, que apresenta sinais de recuperação mais fraca que o previsto há alguns meses. Lemann participava de conversa com o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco.
06/12/2016 - A presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, diz que sua gestão não tornou o banco mais restritivo no crédito e afirma que busca solucionar concessões concedidas. "É absolutamente inverídico que o BNDES não pretende resolver problemas de concessões feitas em governos anteriores", diz a presidente Maria Silvia Bastos Marques, ao contestar a afirmação de executivos de bancos e da infraestrutura. O banco criou uma força-tarefa para cuidar de concessões existentes, entre as quais as de estradas e aeroportos que estão em dificuldades.
09/12/2016 - Em uma das aulas trazemos a afirmação de FEMIA & WERRELL (The Center for Climate & Security) de que “Tensões sobre terra, água e alimentos provam que levantes democráticos não têm só raiz política, mas também ambiental” e usamos o exemplo da seca na Síria, que teve o epicentro em Daara (no sul), quando agricultores se juntaram aos insatisfeitos contra o governo que. e perguntamos se “O clima define o rumo de um país?” Interessante é que no caminho para Aleppo, onde o conflito se intensificou, há uma grande área irrigada.
09/12/2016 - Artigo de João Manoel Pinho de Mello: "A agenda da produtividade" afirma que o desempenho econômico brasileiro é perenemente medíocre, que mediocridade não é destino e a boa notícia é que acabou a era da magia e o governo entende que o tempo é curto. Concordo!
10/12/2016 - Artigo de Marcos Jank: "Pecuária e defensivos são vítimas de ataques e desinformação"
10/12/2016 - Artigo de Mauro Zafalon: "Apesar da boa safra, estoques ainda são baixos no Brasil"
10/12/2016 - Segurança alimentar: Ex-desnutrida que chocou o país há 25 anos ainda vive na miséria.

Conab - Levantamento de safra 2016/2017 - arquivo em PDF V.4 - N.3 - dezembro de 2016. No terceiro levantamento, para a safra 2016/17, a produção estimada indica um volume de 213,1 milhões de toneladas, aumento de 14,2% em relação à safra passada. Esse resultado representa um aumento na produção de 26,5 milhões toneladas. Cabe ressaltar que este incremento é influenciado fortemente pela produtividade média das culturas que, nesta safra, recupera-se da influência negativa das condições climáticas na safra passada. A soja e o milho permanecem como principais culturas produzidas no país. Os dois produtos correspondem a quase 90% do que é produzido. A soja deve alcançar uma produção acima de 102,5 milhões de toneladas. Para o milho a estimativa é de 83,8 milhões de toneladas, distribuídas entre primeira (27,7 milhões de toneladas) e segunda safra (56,1 milhões de toneladas). A primeira safra deve ter o primeiro incremento em relação à safra anterior em relação aos últimos cinco anos.
Minas Gerais - Abastecimento mundial de grãos


Nenhum comentário:

Postar um comentário