Qual o foco da agricultura irrigada, o que é necessário para realizar a prática de irrigação e quais são as culturas que mais utilizam esta prática agrícola no Brasil?

O foco da agricultura irrigada é de promover de forma mais eficaz e mais rápida a produção de alimentos. É de permitir o cultivo em áreas que não favorecem o crescimento e desenvolvimento adequado das diversas culturas. É de contribuir para o crescimento macroeconômico do país, participando da geração de emprego e de renda. É de inovar o conceito de produção, trazer facilidades para aqueles que estão por trás das porteiras, por traz de todo o processo de produção e de toda a parte comercial, o agricultor.


Quando se analisa de uma forma técnica, a função e o foco da aplicação das técnicas de irrigação em uma lavoura é de suprir a demanda de água da planta e do solo que foi perdida pela evapotranspiração. A evapotranspiração é um fenômeno em que ocorre a perda de água do solo pela evaporação e a perda de água da planta pela transpiração. Sabendo disso, pode-se prever então que não há uma única quantidade de água que supri a necessidade de todas as culturas, ou seja, antes de se instalar um sistema de irrigação deve-se analisar, quanto, quando e qual cultura será irrigada.

Desta forma, a pergunta que um futuro irrigante deve fazer é: o que é necessário para irrigar uma lavoura?

Ao contrário do óbvio, não basta apenas ter um bom equipamento de irrigação e uma área agricultável. É necessário prever como irá se proceder o manejo da irrigação. Para isso deve-se analisar o quanto de água a cultura está demandando, ou seja, qual a evapotranspiração da cultura. Deve-se levantar quais as épocas que serão necessárias à aplicação de lâminas de irrigação maiores, ou, quais épocas que não irão necessitar da irrigação, pois a chuva por si só já supriu o espaço que antes havia nesse reservatório que chamamos de solo.

Depois de se analisar qual a lâmina máxima de água que futuramente será demandada, deve-se pensar de aonde esta água sairá, ou seja, qual será a fonte que irá suprir a demanda da minha cultura. Tendo-se esta fonte, o raciocínio deverá se voltar para uma parte que exige um pouco mais de conhecimento em engenharia rural, pois se deverá optar por qual sistema e qual método de irrigação será mais adequado para aplicação na área e na cultura envolvida, quais serão as dimensões dos tubos, e qual será a potência da bomba necessária para a água vencer os relevos e as perdas de carga que sofrerá durante o transporte até a área de interesse.

Uma vez que o equipamento esteja instalado e todas estas variáveis citadas foram analisadas e consideradas no projeto deve-se buscar realizar o manejo da irrigação, que nada mais é do que monitorar a forma de trabalho do sistema, verificar dia-a-dia o quanto a cultura evapotranspirou e qual será a necessidade de irrigação. Verificar os dados da quantidade de chuva ocorrida na região para que ao final do dia a conta seja fechada. Muitas vezes o agricultor irrigante pode achar que realizar o manejo da irrigação é algo complicado, mas a realidade é que não é difícil, pois os dados são facilmente encontrados, uma vez que são disponibilizados por áreas de pesquisas, como é o caso da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira que tem o seu trabalho voltado para auxiliar o agricultor irrigante e para isso monitora a Rede de Estações do Noroeste Paulista e disponibiliza estes dados através do Canal Clima, assim o que antes era complicado torna-se simples e rotineiro para o agricultor. 

As práticas de irrigação são muito importantes para o Brasil. Segundo a FAO, atualmente a área irrigada no país é de aproximadamente 6 milhões de hectares e com potencial de expansão de 30 milhões de hectares. Muitas são as culturas que estão sendo impulsionadas pela prática de irrigação atualmente no Brasil, segundo o IBGE, as principais culturas que mais utilizam tais práticas são: cana-de-açúcar, arroz, soja, milho, feijão-comum (Phaseolus vulgaris), feijão- caupi (Vigna unguiculata), laranja, café, cebola, melancia, algodão e trigo.

Acompanhe a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e fique por dentro dos principais assuntos que envolve a agricultura irrigada e as atualizações do clima do Noroeste Paulista.


SERVIÇO - Canais de Comunicação operados pela UNESP Ilha Solteira
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente: BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira
- Informações também em (018) 3743-1959 


Nenhum comentário:

Postar um comentário