Alterações no tempo podem prejudicar as culturas do milho e feijão na região Noroeste Paulista

A frente fria que chegou ao Centro Sul do final de semana pode prejudicar as culturas do milho e do feijão que estão em campo nessa época do ano. Especificamente no Noroeste Paulista, a partir de segunda feira as temperaturas começaram a cair, a partir do aumento na velocidade dos ventos e consequentemente ocorreu aumento na umidade relativa do ar.

Fonte: Canal Clima
Fonte: Canal Clima
Fonte: Canal Clima


A maioria das lavouras de milho na região estão em ponto de colheita, portanto já escaparam do risco de geadas. No entanto, o principal dano causado pela mudança no clima, além do risco de incêndio que se torna maior devido aos fortes ventos e ao fato das plantas já estarem secas, está relacionado à doenças fúngicas que podem comprometer a qualidade dos grãos.
O aumento na umidade relativa do ar mantêm a umidade dos grãos , o que favorece doenças como a Podridão das espigas e a formação de grãos ardidos causadas por fungos dos gêneros Stenocarpela e Fusarium.
Lavoura de milho irrigado em período pré colheita.
Fonte: Canal Clima

Ao tempo em que boa parte das lavouras de feijão de sequeiro já foram colhidas, ainda há feijão em fase de desenvolvimento final no campo sob irrigação. Algumas lavouras estão iniciando o estádio reprodutivo.
Dessa maneira, as baixas temperaturas podem influenciar negativamente no feijoeiro retardando a floração e aumentando o ciclo da cultura. Ao mesmo ponto que doenças fúngicas que atacam a parte aérea podem prejudicar o ciclo final do feijoeiro, são elas: Mancha angular causada por Pseudocercospora sp., Antracnose causada Colletotrichum sp., Ferrugem causada por Uromyces.
Oídio causado por Oidium sp e o Mofo branco causado por Sclerotinia sp. , sendo esta a doença mais destrutiva dos cultivos de feijão irrigado no outono-inverno.
Essas doenças se beneficiam das condições climáticas descritas, baixas temperaturas, ventos moderados e alta umidade do ar.

Feijão caupi  irrigado com sintomas de Oídio.
Lavoura de feijão caupi com sintomas de Oídio.
Essas alterações no clima também ocasionaram em uma diminuição nos valores de Evapotranspiração média diária, isso se deve ao fato da diminuição do fotoperíodo, característica no inverno. Além disso a região se aproxima de 60 dias sem chuvas maiores que 10 mm em todas as localidades monitoradas pela Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista.


Fonte: Canal Clima


 SERVIÇO:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Informações também em (018) 3743-1959

Nenhum comentário:

Postar um comentário