Dia Mundial da Água - Reflexão, seriedade e planejamento



Pod Irrigar - Há que se comemorar no Dia Mundial da Água
Hoje é o Dia Mundial da Água, o Brasil é blindado com o privilégio de abrigar a realização do Fórum Mundial da Água e tem a oportunidade de colocar frente a frente os maiores especialistas sobre os recursos hídricos do mundo e ainda, dada a dimensão que o tema, "água", alcança, promover a interação com os jornalistas dos mais diferentes segmentos.
Mas, dado às sempre presentes matérias e documentários que retratam o descaso com o uso da água, obras inacabadas, desvio de recursos, o passivo ambiental reinante e a insegurança hídrica constatada mundo afora e Brasil a dentro, cabe a reflexão: há o comemorar?
Digo que sim, a água desde Gênesis (2,10) já irrigava os jardins do Éden e Deus colocou lá o homem para cuidar dele e cultivá-lo. A história nos conta que Impérios se formaram em pleno deserto administrando a água e hoje, a riqueza e as oportunidades continuam a brotar com mais facilidade quando se usa água para fazer o desenvolvimento. A água continua a ser a fonte da vida!
Vale também para o Brasil, vide os números do nosso PIB em 2017, e muitos ainda não perceberam que vem dos municípios ou das regiões onde a agricultura irrigada se destaca, os melhores resultados sócio-econômicos, com reflexos positivos até na educação. E irrigamos apenas 6,5 milhões de hectares para um potencial de 60 milhões de hectares. E precisamos avançar ainda mais para que efeitos multiplicadores da agricultura irrigada alcance a todos!
Mas, o maior desafio da atualidade é armazenar e usar com inteligência a água, em todos os setores da sociedade. Fazer isso não é uma tarefa fácil, pois depende do convencimento sobre a sua real importância - estratégica e econômica - da água, principalmente em condições de limitação deste recurso, de investimentos e de capacitação técnica.
Uma planta não fala, se manifesta apenas pelas folhas e a consequente perda de produtividade, que em ambiente irrigado, não seria inteligente deixar chegar à esta situação, pois os investimentos foram feitos exatamente para se ter a segurança hídrica no negócio de produzir alimentos.
Então precisamos estimar as transferências de água do solo para a atmosfera, pelo processo chamado de evapotranspiração. Fazemos isso com base nas condições atmosféricas - daí a necessidade do monitoramento climático - ou medindo a umidade do solo através de sensores e calculando o armazenamento de água no solo e a necessidade de irrigação para se chegar ao estado ótimo que é a capacidade de campo.
Isso é o dia a dia do Irrigante e para fazer o uso racional ou inteligente da água ele deve se capacitar e incorporar a gestão da água entre as suas atividades, que inclui ainda, manter pelo máximo de tempo que puder à água na microbacia hidrográfica em que ele está inserido. Para isso, não basta irrigar corretamente, com equipamentos modernos, mas deve também promover a infiltração da água no solo, com técnicas de conservação, recompor matas ciliares, proteger nascentes e muitas vezes construir barragens de terra.
A segurança hídrica então exigirá planejamento, armazenamento adequado e uso racional da água em todos os seguimentos da sociedade!
Este foi o tema da edição de hoje do [Pod Irrigar] - o Podcast da Agricultura Irrigada -, mas o Internauta também pode ouvir as outras dicas que estão disponíveis semanalmente a partir de http://podcast.unesp.br/podirrigar.


TerraViva Sustentável
Sobre o tema armazenamento, conservação e uso da água, participamos como entrevistado do Jornalista Tobias Ferraz, do Programa TerraViva Sustentável em 17 de março de 2018, quando a edição tratou da "Água no planeta e na agricultura". Estiveram também no programa o Pesquisador Rinaldo Calheiros do IAC e o Secretário de Meio Ambiente de Vinhedo Adriano Corazari. Assista também o primeiro, terceiro e quarto bloco do programa.


Dia Mundial da Água - Segurança hídrica


Nenhum comentário:

Postar um comentário