BAIXA UMIDADE RELATIVA DO AR E ALTAS TAXAS DE EVAPOTRANSPIRAÇÃO NA REGIÃO NOROESTE PAULISTA

Na região Noroeste Paulista, alguns municípios chegaram a 162 dias sem chuvas, conforme registra a Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista operada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira.
Nas cidades, a população sente também os efeitos da seca, com o registro de baixos valores da umidade relativa do ar durante o dia. Narinas, olhos e boca sentem mais o efeito da baixa umidade relativa do ar com valores abaixo dos 30%. 
A umidade relativa mínima do ar ontem (10) de acordo com as estações operadas pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, esteve entre 12,4 e 17,7%, o que representa grande risco a população, indicando estado de alerta aos moradores. Recomendam-se alguns cuidados a serem tomados como evitar exercícios físicos no período das 10 às 16h, beber bastante água, pelo menos 2 litros por dia, entre outros.


Umidade média do ar atualizada a cada 1 hora.


O município de Itapura ontem (10) registrou o menor valor de umidade do ar 12,4%, com temperatura média de 37,1 °C às 13:47h, direção média dos ventos 147,7°, sendo assim vindos do Sudeste (rosas dos ventos é representada no mapa abaixo), com velocidade máxima considerada forte de 22,1 km/h, informações como essas, sobre a velocidade e direção são importantes na produção agrícola, pois o vento pode causar alguns efeitos, como transporte da umidade do ar e de calor na atmosfera, que vai influenciar diretamente nas taxas de evapotranspiração.
Ontem também foram registradas altas taxas de evapotranspiração em toda Região Noroeste Paulista. O município de Pereira Barreto (Estação Santa Adélia) registrou evapotranspiração de 6,5 mm/dia, com temperatura máxima de 36,7°C, velocidade do vento máxima de 25,0 km/h e umidade mínima de 15,4%. Sabendo-se que, a umidade do ar influência diretamente na demanda evaporativa da atmosfera, pode-se dizer que quando muito baixa pode torna-se prejudicial para plantas aumentando a taxa de transpiração.

Evapotranspiração de referência do dia 10/09.

Na irrigação, quando utilizamos métodos por aspersão, altas temperaturas e baixa umidade relativa têm efeito direto sobre as perdas de água por evaporação. Estas perdas podem ser consideradas altas quando ultrapassam 15%. As perdas de água por evaporação em irrigação por gotejamento são pequenas e desprezíveis, já na irrigação por microaspersão podem ser significativas. Sendo assim, nessas condições climáticas, irrigações realizadas no período diurno terá menor eficiência devido ao efeito da evaporação, muitas vezes, antes mesmo da água chegar ao solo.
Hoje (11) a umidade do ar continua baixa, valores mínimos entre 14,8 e 23,0% e temperatura máxima entre 35,0 e 37,4°C, conforme se observa nos dados disponíveis no Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira hospedado em http://clima.feis.unesp.br, com atualização a cada cinco minutos.


SERVIÇO:

- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: http://www.feis.unesp.br/irrigacao 
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Informações também em (018) 3743-1959

Nenhum comentário:

Postar um comentário