Planejando a agricultura irrigada e a UNESP na liderança do ensino e pesquisa


[Pod Irrigar] - Com planejamento da expansão da agricultura irrigada, o sucesso é garantido
Estivemos com nossos alunos do Programa de Pós-Graduação em Irrigação e Drenagem da UNESP na Fazenda Olhos d´Água, em Itaí, região Sudoeste do Estado de São Paulo, quando fomos muito bem recebido pelo Engenheiro Agrônomo Abel Simões, Gerente da propriedade há 20 anos.
O objetivo principal da visita seria desenvolver na prática o tema avaliação dos sistemas de irrigação por pivô central e localizada. Escolhemos a Olhos d´água pois teríamos a oportunidade de avaliar um pivô central equipado com os principais emissores dos três principais fabricantes de emissores de alta performance que utiliza uma água com elevada concentração de ferro. Também, a fazenda utiliza o gotejamento em sub-superfície para a irrigação de três variedades citrícolas, além de ser gerenciada por um reconhecido Técnico que sempre estabeleceu parceria com as universidades.
Contudo choveu, e para nossa surpresa, isso em momento algum diminuiu a qualidade e quantidade de temas abordados durante a visita.
Pela manhã pudemos ainda no Escritório conhecer todo o planejamento desde o primeiro pivô central até completar os 660 hectares irrigados, ocupando toda a área de produção da fazenda.
Não dispondo de água suficiente para irrigar toda a área e com o córrego apresentando uma grande variação de vazão entre a estação seca e chuvosa, a solução encontrada foi construir um grande reservatório no ponto mais alto da fazenda, abastecido no verão, de onde se faz o bombeamento morro abaixo para os 500 hectares irrigados por pivô central para produção de grãos e algodão e outros 160 hectares de citros.
Aprendemos sobre gestão administrativa da fazenda utilizando BI - Business Inteligence, sobre gestão dos dados climáticos e do uso da água na propriedade registrado em um grande e longo banco de dados, sobre manejo da irrigação sob restrição hídrica, solos, captação de água, bombeamento, segurança das instalações, filtragem, fertirrigação (tipos de adubos e parcelamento), uso de chaves de partida e inversores de frequência, investimentos e manutenção dos sistemas de irrigação e ainda o planejamento da produção e da comercialização. Claro, como passamos a tarde no campo, além de muito barro, também nos molhamos e até um pouco de frio sentimos. Mas foi muito esclarecedor, muito aprendizado mesmo.
Mas ao final, a principal lição, foi a de que o grande sucesso da fazenda é terem ocupado todo o espaço produtivo com sistemas de irrigação em etapas, a partir de um estruturado planejamento dos recursos hídricos, de solo, clima e financeiros.
Muito obrigado Abel e Gal pela receptividade e altruísmo em relação ao conhecimento compartilhado!
Este foi o tema da edição de 31 de outubro de 2018 do [Pod Irrigar] - o Podcast da Agricultura Irrigada -, mas o Internauta também pode ouvir as outras dicas que estão disponíveis semanalmente a partir de http://podcast.unesp.br/podirrigar.

UNESP entre as melhores

Nenhum comentário:

Postar um comentário