Carnaval e agricultura irrigada: a produção de alimentos não pára


Pod Irrigar - Os Irrigantes se perguntam se terão segurança hídrica estando às margens de reservatórios
Nosso [Pod Irrigar] desta semana tem origem numa pergunta e preocupação dos irrigantes posicionados às margens dos reservatórios. Um deles pelo WhattApp nos pergunta: "Professor, agora que os rios Grande, Paranaíba, Tietê e Paraná voltaram aos seus níveis normais e os reservatórios das hidrelétricas no noroeste paulista estão cheios e com isso retornarão as atividades de navegação, aquicultura em tanques redes e os sistemas de irrigação - especialmente os pivôs centrais - voltarão a funcionar dentro das especificações de projeto nestes reservatórios, haverá algum compromisso das usinas hidrelétricas em manter estes lagos acima da cota 323 metros ou vai existir ainda a possibilidade destes reservatórios voltarem à baixar e trazer de volta todos os transtornos econômicos que vivemos nestes últimos dois anos?"

Transporte de grãos volta a ser feita pela Hidrovia Tietê-Paraná, aqui no trecho do rio São José dos Dourados, em Ilha Solteira e retratado por Luiz Malcolm Mano de Mello.

Não é uma pergunta fácil de responder vejamos porque, mas antes, é imperativo um esclarecimento. No modelo de gestão atual, as usinas hidrelétricas não tem controle sobre a geração de energia e portanto, sobre o consumo de água e nível dos reservatórios e são meros operadores e mantenedores do sistema e a decisão de onde e quanto de energia se deve gerar cabe à ONS, o Operador Nacional do Sistema, que também decide qual será a vazão turbinada (que gera energia) e vertida (que não gera energia).
Assim, mesmo com os reservatórios cheios é muito difícil ter uma resposta para esta preocupação, pois não sabemos qual será o regime de chuvas, se teremos o reaquecimento econômico com crescimento da demanda por energia e principalmente, onde e qual a fonte geradora de energia empregada. Hoje, somente o sistema Norte com 34% e Nordeste com 20% ainda se apresentam em situação crítica de armazenamento de água. O Sudeste conta com 45% e Sul 97% de água armazenada. Esperamos que a gestão dos recursos hídricos seja feita de modo a manter em operação um projeto estratégico para o país que é a Hidrovia Tietê-Paraná, assim como esperamos que sejam feitos investimentos que levem a mitigação da vulnerabilidade da interligação do sistema Tietê-Paraná com a instalação de uma comporta no Canal de Pereira Barreto, por exemplo.
Aos Irrigantes seria impensável que teriam dificuldades de captação de água estando às margens dos rios e lagos de grande porte, mas, nos projetos futuros devem ter atenção maior ao ponto de captação de água. Esse foi o tema que desenvolvemos esta semana no Pod Irrigar - o Pod Cast da Agricultura Irrigada. Ouça também os anteriores.

Carnaval em Ilha Solteira quente em todos os sentidos
O Carnaval passou e durante a folia muitos trabalharam para garantir o alimento na mesa do brasileiro e também da população em outros países. Em Ilha Solteira, com chuva apenas na madrugada da sexta-feira, os foliões, liderados pelos estudantes da UNESP que promoveram com sucesso mais uma edição do CarnaIlha, sentiram na pele todos os dias temperaturas acima dos 35ºC à sombra. Sucesso de público e crítica, estes estudantes mostraram que quando querem podem ser profissionais e fazer a diferença e recebem os parabéns! E a TV Tem mostrou como se organizam e se divertem!

Recursos hídricos - Software
Em "ÁGUA E TRANSPORTE", o Poeta Marcos Antonio Ayres, já em março de 2010 chamava a atenção com o seu poema para a necessidade de usar a água sem desperdício. Passamos por uma grande crise hídrica e o Poeta e amigo - jã não mais entre nós - não pode presenciar esta realidade que já era a sua preocupação há muitos anos. Confira suas sábias palavras!


Formação profissional: estudo e lazer são necessários e devem andar juntos

Nenhum comentário:

Postar um comentário